quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Vocativos

A mulher da imobiliária, Iza, acha o meu nome muito difícil, portanto só me chama de ‘coração’, ‘meu amor’, ‘meu anjo’ e ‘minha linda’. Mas não sou só eu que sou aderessada desse jeito. O Berg ela chama de ‘coraçãozinho’.
O Berg me chama de ‘dona Lu’. É sempre um ‘ôh, dona Lu’ cansado, que logo emenda em descrições de dores de cabeça, cansaço e desculpas por não ter vindo ontem nem anteontem.

O meu vizinho Leandro, que estuda administração ou coisa parecida na Unir, me chama de ‘professora’ quase sempre. A vizinha da verruga no nariz que faz bolo de macaxeira me chama de ‘vizinha’ talvez por não saber o meu nome.

O cara da transportadora em Guraulhos, que eu achava que se chamava Osani, na verdade se chama Osvani. Esse me chamava de ‘filha’ e ‘meu bem’ e só dizia pra eu não me preocupar.
A Daiane da mesma transportadora, mas aqui em Porto Velho, me chamava de ‘minha flor’ enquanto tentávamos localizar a minha mudança. Depois passou pra ‘amada’, quando a mudança chegou.

Quando a minha mudança chegou, o meu nome completo estava desenhado em todas as caixas e grampeado em todas as malas e mochilas. Aí sim eu senti que era comigo!

2 comentários:

Ma disse...

Hallo Lou, wir haben Tränen gelacht. Wunderbar, diese deine trockene Beschreibung!
Ma

Juliana Reis disse...

Puxa fofa quanto nome hein!!!
Imagina se seu nome fosse um palavrão ai te chamariam de LOU!!!