sexta-feira, 23 de maio de 2014

O filme dos amigos bolivianos



Antes de chegarem aqui, os quatro companheiros do FOBOMADE (Fórum Boliviano de meio Ambiente e Desenvolvimento), Abraham Cuéllar, Andres Bustamante, Carlos Fiengo e Rodrigo Rodriguez que nos ajudaram - e muito!! - com filmagens, equipamentos, formatos de video e segredos de computadora filmaram a cheia do Beni.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Por que são necessários novos de estudos do Madeira?

Por que são necessários novos estudos de impacto das usinas hidrelétricas após a cheia do Madeira from Lou-Ann Kleppa on Vimeo.

O debate sobre os impactos causados pelas usinas hidrelétricas instaladas no rio Madeira foi de alto nível e muito bem visitado. Muitas pessoas chegaram cheias de perguntas e saíram com uma convicção: é preciso manter o questionamento sobre a responsabilidade pelo impacto desastroso. É preciso investigar e debater sobre o que significam as usinas na Amazônia, o que significa ser atingido, como reconstruir a vida cotidiana, a memória, o território.

domingo, 18 de maio de 2014

Deslocados

Pequeno video que eu fiz sobre como cada um olha para a catástrofe ambiental que foi a cheia do Madeira. Os desabrigados foram desalojados de suas casas pela água, abrigados em colégios e, especificamente as pessoas no Baixo Madeira, foram posteriormente removidas dos colégios pela Defesa Civil e despejadas em escolas de Porto Velho. Por um lado, o depoimento de uma pessoa deslocada à revelia várias vezes por motivos diversos.

Por outro lado, o senador federal de Rondônia, Valdir Raupp, procura por palavras para descrever a situação das famílias desabrigadas: "momento ... de tristeza, né?", "não está ... vivendo com dignidade". O mais flagrante no discurso dele é a equivalência entre "mudar" ("eu mesmo já mudei umas vinte vezes", "quem aqui já não mudou pelo menos umas duas vezes?") e "ser removido para um abrigo", "ser deslocado sem perspectiva de retorno", "ser desalojado por tempo indeterminado".