segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Quando a nossa visita vira visita do nosso amigo

Philip na casa do Damian
Finalmente meu irmão veio nos visitar. Em 2014 ele já esteve no Brasil, com passagem pra PVH, mas desistiu de última hora e voltou pra Alemanha antes do planejado. Em outras palavras, ele me devia essa visita há tempos. E quando ele veio, perguntamos a ele se queria passar uma noite na floresta.
Luis e Agnes
Ele topou na hora. Eu não estava bem (eu tinha tomado três tigelas de açaí que tava saindo como entrou, fora a gripe que me pegou) e achei que não seria confortável pra Agnes dormir na casa do Jairo. Como eu estava mal, Luis teve medo que eu não conseguisse cuidar da menina. Damian convidou o Philip para dormir lá e assumiu o nosso hóspede.
Philip e Damian
Debaixo de chuva, voltamos lá na manhã seguinte com um bolo de milho. Tinha chovido grande parte da noite e toda a manhã. Me senti mal de deixar o meu irmão assim, no meio do mato, com um sujeito que recém tinha conhecido. Mas ele tava feliz da vida. Tinham feito trilha na floresta de noite, apagaram todas as luzes e escutaram os sons da mata. Philip disse que se sentiu numa catedral.

Meus dois amores

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Monitoramento do rio Madeira

Fonte: CPRM. Clicando na imagem, ela aparece maior
O rio Madeira sai da calha quando a cota chega a 14 metros. Atualmente o rio está (em Porto Velho) na cota 12. O gráfico acima, coletado na CPRM, mostra que o nível do rio (linha azul) se manteve na cota 10 até a noite do dia 11 de janeiro. As linhas pretas verticais na parte superior do gráfico indicam o volume de chuva. Pouca chuva pra muita elevação de nível.

No dia 30 de dezembro de 2016, o Ibama autorizou a elevação da cota da usina de Santo Antônio de 70,5 para 71,3m, para que as 50 turbinas instaladas possam funcionar melhor. O plano original prevê 44 turbinas e cota 70,5m. O Gerente de Operação da SAE disse pra câmera que durante a cheia de 2014 a cota de 70,5 m foi mantida. Elevação de cota significa mais água armazenada, mais energia e mais área alagada a montante (antes da barragem). Entre os dias 03 e 10 de janeiro ocorreu grande estabilidade no nível do rio Madeira a jusante: a usina estava segurando água para chegar na cota 71,3. Pra subir 80 cm na régua da barragem, é preciso acumular água por uma semana!

O Diário da Amazônia de hoje traz uma matéria sobre aumento anormal de chuvas. Não menciona o nível do rio. A cidade está voltada de costas para rio.

O aumento do nível do rio Madeira está acontecendo muito rápido. De ontem pra hoje subiu um metro. De ontem pra hoje choveu 10 milímetros. O jornal prepara o leitor pra chuvas que virão, a usina comemora o aumento da cota. Não encontro boletins de monitoramento nem na ANA nem na CPRM, apenas informes diários. É preciso fazer o exercício de juntar esses fragmentos e entender o cenário que se desenha: risco de outra cheia - e não é por causa da chuva. Quem controla o rio Madeira não é o clima, mas as duas usinas hidrelétricas instaladas nele.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017