segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Fazemos iogurte

Lembro que quando eu morava na Oca, Lígia e Ferrone faziam iogurte fervendo litros de leite e adicionando um copinho de iogurte industrializado ao leite. Mas eu sabia que dá pra fazer iogurte sem ter um iogurte que se use como base.

Eis que Luis voltou de Floripa com sementinhas de iogurte. Siomara e Jairo deram pra ele uns "bichinhos do iogurte" num frasco com leite. E desde então começou a corrente de fazer iogurte.
 
Toda noite, eu passo o iogurte do dia anterior numa peneira e sobram os "bichinhos", que eu lavo na água corrente. Da peneira eles voltam pro frasco (vazio e limpo) e adiciono meio litro de leite e guardo tudo num lugar escuro (saco de pão). O iogurte pronto, iniciado 24h antes, vai pra geladeira e fica lá por 2 dias pra ganhar consistência, porque os "bichinhos" continuam agindo. Quando deixamos o iogurte pronto por pouco tempo na geladeira, ele fica bastante líquido. Tenho esperança de, controlando o tempo, conseguir um kefir.
 
Percebi que o número e tamanho dos "bichinhos" na peneira vai aumentando com o tempo. Lendo coisas aqui e ali nas interneta, resolvi seguir a instrução de não deixar o iogurte em processo entrar em contato com metal (seja a peneira, a colher, o vasilhame etc.), mas nunca pus a teoria à prova.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

De volta em casa

Enquanto descíamos do taxi que havia nos trazido do aeroporto, apontávamos as novidades no jardim:
"abriu uma rosa!"
"Olha quanto hibisco!"
"Caramba, a trepadeira subiu tudo isso!"
Claro que nem tudo eram flores. O mato tinha crescido bastante e era preciso limpar os canteiros. Eu me encarreguei deste, que é mais elevado e menor (a barriga permitiu que eu arrancasse as ervas daninhas).
Já Luis assumiu o trabalho pesado. Livrou a nossa horta (mastruz, manjericão, alfavaca, citronela, couve, espinafre, vinagreira, pimenta) das ervas daninhas.
As mangas tinham acabado e não havia mangas podres embaixo do pé.


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Onde está Nicinha?


Nicinha, pescadora ribeirinha e militante do MAB-RO está desaparecida desde 07 de janeiro deste ano.

sábado, 9 de janeiro de 2016

50 anos de Casa da Juventude

Oma e Helena
Em 9 de janeiro de 1966 foi fundada a Casa da Juventude em Gramado, de frente pro Lago Negro. Meus avós, Theodor Fritz Kleine e Marie Agnes Kleine estavam lá. E no jubileu de 50 anos, minha avó ainda estava lá - e foi homenageada.
Helena e Gerhard
Dieter
O prefeito em exercício, o presidente da associação e o atual diretor da Casa fizeram falas em que ressaltavam como a história da Casa da Juventude, com seus cursos de alemão e danças folclóricas, se confunde com a história da família Kleine: Theo Kleine foi o primeiro diretor (Hausvater), seu filho mais velho, Gerhard Kleine assumiu a tarefa com a esposa, Ruth, que passaram o bastão para o filho mais novo, Dieter Kleine, que assumiu a direção da Casa com ajuda da esposa, Denise.
Apresentação de danças folclóricas

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Esperando a meia-noite

Dieter, Denise, Gerhard e Oma

Helena, Denise, Ruth, Dieter e Gerhard
Vimos a "Festa da Virada" pela TV em várias capitais, exceto em Porto Alegre. As velas da árvore de Natal foram acesas uma última vez e nos despedimos do ano de 2015.
Luis
Nina com 15 anos cumpridos
2016 está prenhe de expectativas em relação à nossa filha, Agnes Maria.