domingo, 30 de agosto de 2009

Minha prisioneira

Ela não sai de casa, mas ouve intensa atividade rolando fora das paredes de casa. No começo, eu pegava ela no colo e ficávamos na janela, vendo os passarinhos, os gatos feios e sentindo o ventinho fresco na cara. Mas aí eu fui ficando tão Felícia, que ela não queria mais colo. Pulava na janela, furava a tela e fazia escândalo.

Botei umas caixas de livro na janela da sala, pra ela poder olhar o movimento na rua, mas na primeira madrugada ela brigou com o gato preto em alto em bom som. Botei as caixas na janela do quarto vazio, a uma distância segura da janela e pronto. Ela passa a maior parte do dia aí em cima. Ou sentadinha, observando a vida no jardim, ou dormindo.

5 comentários:

Mônica disse...

Nossa! Que luxo!

Akari ganhou um quarto só para ela?

hehehe

Jonas disse...

Bem fofa :).

iglou disse...

Na verdade acho que ela pensa que eu é que moro na casa dela...

Phil i peta disse...

e porque que ela nao pode saír?

cacula.

iglou disse...

Porque ela não tem rabo, portanto dificuldades de equilíbrio. E porque os gatos feios que rondam a casa são malvados. Feios e maus.