quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Plantando

Pus o mini bambu pra fora de casa, porque a Akari tava se esbaldando demais nele e algumas folhinhas estavam ficando amarelas. Agora terá um tempo para se recuperar.

No meu último dia em São Paulo eu juntei sementes de laranja lima, papaia e aquele limão de fundo de quintal que é laranja e não tão azedo. Coloquei tudo em papel alumínio. Não deu tempo delas secarem, e quando cheguei aqui demorei uns dias pra lembrar delas. Quando fui plantá-las, estavam mofadas. Mas plantei mesmo assim, torcendo pra que venham me dar frutos.

Demorei quase o dia todo pra achar o esconderijo secreto das sementes de maracujá. Às vezes coloco as coisas em lugares tão seguros e pouco óbvios, que achar coisinhas pequenas vira uma aventura. Mas achei as sementes do maracujá doce que me fez tão feliz em Barão Geraldo numa caixinha de cartuchos de caneta tinteiro.

Numa caixinha de clips estavam outras sementes, envolvidas em papel. Só duas sementes grandes, possivelmente de alguma fruta que eu curti, estavam embaladas num guardanapo.

Pelo fato de achar sementes nas coisas de escrivaninha, ficou claro como a minha vida se concentra no lugar em que escrevo, estudo e guardo instrumentos de trabalho (me refiro a lápis, borracha, post-its, papel, clips, canetas e tal).

Numa caixa de madeira em que estão umas colheres de prata, broches e colares enormes que a Oma me deu, estavam outras sementinhas pretas pequenas, envoltas num papel em que o meu primo anotou o seu e-mail. Imaginei Micha e eu caminhando pelas ruas de Gramado e só uma árvore me veio à mente: mimosa, a flor do aniversário da minha mãe. Pode não ser, mas torço que seja.

Enquanto esperava a minha roupa secar na lavanderia, dei um passeio pelo bairro atrás da Av. Calama. Achei três sementes de flamboyant, que enfiei no bolso. Seria muito bom pro solo ter sombra no meu jardim.

Na feira comprei manjericão, hortelã e alecrim, que também plantei em garrafas com a terra quase preta do meu jardim. Salsinha e cebolinha eu não vi na feira nem como cheiro verde. Vi uma coisa parecida com cebolinha, mas num maço muito mais farto que estou acostumada a ver e com folhas muito mais firmes. Descobri que é um tempero que todo mundo usa. Deve ser um tempero do nordeste, só não sei o nome.

Não sei se as sementes que eu plantei vão vingar, nem mesmo lembro o que está plantado em qual garrafa. Se nascer grama e açaí também vou ficar feliz. E se não der em nada, pelo menos me diverti plantando planos de flores e frutas.

7 comentários:

Mônica disse...

Lou, limão e laranja não dão frutos a partir das sementes. Para que a planta dê frutos, é preciso fazer mudas a partir de enxertos.

Melhor comprar a muda.

Anônimo disse...

Hallo!

Ich bin in gedanken bei dir!

Habe gestern abend meine erste Gürteltasche Verkauft!!! Cool, wa?

schau doch mal bei meinem Internet Laden vorbei:

(kein www) postscriptum.dawanda.de

Cassula.

iglou disse...

Gratuliere, kleiner grosser Bruder!

iglou disse...

Mônica,
muito obrigada pelos esclarecimentos. Percebi que sou mais agro-ignorante que eu imaginava. Vivendo e aprendendo.

ronaldovm disse...

Bom dia, comprei umas sementes de mini bambu, mas sou zerado nesse assunto, você poderia me dar umas dicas de como plantar (solo adequada, disposição das sementes)? Muito obrigado.

iglou disse...

Oi, Ronaldo
nunca plantei sementes de bambu, mas tenho um tio especialista em bambu. Pra sua sorte, ele gravou uns vídeos em que fala sobre bambu. Estão no site www.bambusc.org.br

Boa sorte!

ronaldovm disse...

Estava viajando e só vi agora sua resposta. Vou nesse mesmo momento acessar o site. Muito Obrigado.