sábado, 1 de agosto de 2009

Laranja mecânica

Ela não é perfeita igual a Amarilda, mas tem seu charme e me quebra um galho. Eu queria deixar de ser pedestre nessa cidade que mais parece uma ilha de asfalto no meio do verde. As distâncias que eu percorro são grandes, o calor é infernal e não tem brisa. Tem poeira.
Cheguei na bicicletaria mais fashion e perguntei se o atendente bonitão (mas demasiado sério) tinha uma Barra Forte pra mim. Feminina, sim. Entre a roxa e a laranja fiquei com a laranja mecânica. 

Claro que não dava pra subir o banco o suficiente pras minhas pernas. Claro que o banco me machuca porque é enorme. Óbvio que o guidão não responde rápido. Mas ela me leva pros lugares muito mais rápido que o resto do povo pedala por aí. Parecem sempre cansados, usando ombros e cabeça para progredir.

Fui no hipermercado e comprei uma cesta de lavanderia que eu queria prender no bagageiro. Mas eles não tinham aqueles elásticos com gancho nas pontas, nem barbante ou fita adesiva. Comprei um varal de milhares de metros que me desafiou no estacionamento de bicicletas. Voltei na bicicletaria do bonitão que até sorriu ao me ver e pedi abraçadeiras de plástico. Substituí vários metros de varal por 4 abraçadeiras e agora posso fazer compras de coisas grandes, tipo plantas, terra ou adubo, escorredor de louça (já tenho 1 espremedor de laranja, 1 copo, 1 prato, 1 faca e 3 colheres) e outras coisas que vou juntando aos poucos.

Um comentário:

Juliana Reis disse...

Lou parabéns pela Laranja mecânica!
Ah ela tem um ar mexicano com a cesta azul! Laranja e azul são cores típicas da decoração mexicana... digamos tem um ar Frida Kahlo, Amodolvar...
Em breve a casa vai ficar com o seu jeito... que espaço imenso no quintal hein!
Felicidade na nova casa!