sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Lixo

A coleta de lixo funciona todo dia, menos segunda-feira. O caminhão de lixo é mais presente que a água aqui. E ainda assim retirei dois baldes de lixo plástico do meu jardim.
O povo daqui tem costume de queimar o lixo. Em dias quentes e empoeirados como todos esses últimos, a tarde fica poluída e esfumaçada. Quando fui ver o pôr do sol, vi fuligem caindo do céu.

O entulho na frente de casa estava disputado, mas o Berg não estava querendo pagar R$ 150,00 pra um, não estava confiando no outro que tinha recém saído da prisão e tava precisando de serviço e não tava achando o terceiro, que faria o serviço mais barato de todos. Ontem o vizinho que cobraria mais caro encostou aqui, me deu o celular dele e pediu pra eu ligar pro Berg, dizendo que ele faria a retirada do entulho por R$ 120,00. Berg concordou com o preço, autorizou o serviço e disse que viria de tarde. O caminhão de entulho viria na madrugada do dia seguinte (hoje).

Desconfiando que o Berg não viria de tarde, coletei todo o lixo plástico que achei no jardim, limpei todos os restos de trancas de porta, azulejos quebrados e tocos de madeira e adicionei à montanha de entulho. O caminhão veio às 5 e depois às 6. Ouvi cada pedaço de vidro e cerâmica caindo no caminhão como se fosse no meu quarto. E ainda assim tem um monte de entulho que foi deixado lá na frente. Esse monte está aumentando, porque Berg veio e mexeu nos canos podres, desenterrou uns entulhos e lixou o muro.

Um comentário:

Juliana Reis disse...

Menina a casa está uma novela interessante hein!!!
Sorte por ai!!