domingo, 8 de março de 2009

Casa esvaziada

Ainda não fui chamada pela Unir e as secretárias de lá que conversam comigo por telefone não sabem quando o MEC vai autorizar a contratação dos camaradas que passaram no concurso de fevereiro. Pra não ter que pagar aluguel e pra aproveitar o interesse de uma moça na minha vaga, resolvi sair da república e voltar a São Paulo.

Pra Oca da Tapioca as coisas não mudam muito: continuam morando com uma gaúcha que faz doutorado em Lingüística e continuam usando a minha geladeira, fogão, mesa, estante e roteador. As duas meninas que ficam no quarto compraram o meu beliche (a única cama que tive em toda a minha vida), colchão de mola, escrivaninha (que era do meu pai) e cadeira.

O processo de dar e vender as coisas ainda não acabou, e teve seus altos e baixos. Me senti útil doando um saco de 100l de roupas pruma associação de assistência à criança (AMIC). Fiquei super feliz por conseguir vender o bongô pelo Mercado Livre, e o cara que comprou o bongô também está todo contente. Mas fiquei triste quando dei um par de cortinas pelo Freecycle pra uma dondoca. Pô, Freecycle é um lance legal de você dar coisas úteis pra pessoas que vêem utilidade naquilo que te atrapalha. A moça me escreveu que precisava urgentemente das cortinas e vinha retirar o mais rápido possível. Ignorei todos os vinte outros que me pediram as cortinas e dei preferência pra moça. Chegou de carrão, óculos escondendo a cara, maquiagem escondendo a pele ruim e um salto muito alto, disfarçando o tamanho. Depois mandou foto das cortinas no quarto dela. Super legal. Outra coisa triste foi o valor que o brechó me pagou pelas minhas roupas de frio e o que o sebo me pagou pelos meus livros. Mas assim tenho menos coisa pra carregar.

Passei os últimos dias encaixotando livros e me desesperando com a quantidade de papel que tenho. Mas não consigo me desfazer dos meus quadrinhos... Depois que encaixotei as minhas coisas de cozinha, os moradores ficaram assombrados: a panela de pressão é tua? Você vai mesmo precisar de todos os seus garfos, colheres e facas? Esse espaço todo no armário da cozinha é normal?

Ainda preciso voltar lá duas vezes: uma vez com um carro, pra trazer todas as inumeráveis caixas; e outra pra trazer a outra bicicleta. Amarilda veio hoje. É, e falta me despedir da galera, porque só o Gustavo me viu hoje, por volta das 6:00, quando ele estava indo dormir.

3 comentários:

Ju Reis disse...

Oi Lou
vc tá temporariamente em Sampa?
bj

iglou disse...

Temporariamente e por tempo indefinido. Muito ruim não ser capaz de planejar o futuro!

Juliana disse...

vamos nos encontrar então???
manda um email para a gente combinar
julianareis20@yahoo.com.br