sábado, 14 de março de 2009

Caloi 10 pra SP

Eu estava em São Paulo e a minha última peça de mudança, a Caloi 10, estava em Campinas. Consegui carona pra Barão às 7:30 e chegamos às 9:00 em Barão. Entrei em casa e fiquei feliz em ver que a maioria das pessoas estava acordada. Quando pus o meu capacete, começou a chover. Esperei um pouquinho e saí de Barão Geraldo às 10:00.


Quando eu tava na D. Pedro, na altura do São Marcos, uma viatura da Polícia Rodoviária me ultrapassou e parou no acostamento, a alguns metros de mim. Dois fardados desceram e deram sinal pra eu encostar. Como o homem fez o mesmo gesto que faria para um motorista, não tive certeza se era comigo. Apontei pra mim e acenei com a cabeça, ao que ele acenou uma confirmação. (Veja que maravilha que não é o tempo da bicicleta. Dá tempo de trocar informações com o policial rodoviário antes de acionar os freios!)
Esticou a mão, me cumprimentou e perguntou onde eu moro e se não tinha outro caminho pra eu fazer, porque passar perto de favela não é seguro: os menino vem e passa ratsteria na sua bicicleta! Agradeci a preocupação e segui viagem.


Entrei na Bandeirantes pensando se precisaria usar a capa de chuva que estava trazendo. Não choveu mais. O sol foi saindo devagarinho, até a minha pele ficar constantemente molhada e grudenta. Boa preparação pra Rondônia!
Se eu tivesse dormido na Oca e saído de lá às 6:00, eu teria chegado em São Paulo muito antes do horário em que bicicletas são permitidas no trem. Tomei sol na moleira, mas consegui entrar no trem numa boa.

Um comentário:

ricardo disse...

olá! eu queria saber mais a respeito da sua bicicleta...

se puder, entre em contato via email rpedro352@hotmail.com

obrigado!