quinta-feira, 23 de julho de 2009

Burrocracia

Preciso fazer exames médicos de admissão para o cargo de docente. O funcionário da Unir tinha me encaminhado ao Iperon (Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Rondônia). Me deu uma carta endereçada ao Doutor Caon, pedindo a ele que me desse uma autorização para exames médicos. Sabia já de antemão que o tal doutor não me daria essa autorização, mas estava na torcida que ele me encaminhasse.

Cheguei lá e vi um monte de atendentes ocupadíssimas com seus papéis, pastas e ofícios. Segui a plaquinha 'Junta médica'. Embaixo da plaquinha havia outra plaqueta avisando que era proibido entrar ali trajando bermuda ou regata. Adivinha. Eu tava tanto de bermuda como de regata. A atendente gordinha, loira tingida da voz desagradável que me indicou a assistente social também estava de regata, mas me chamou atenção que na verdade eu não podia entrar ali daquele jeito. Sei.

A assistente social me cumprimentou, recebeu a minha carta e se ligou que era endereçada ao Dr. Caon. Desligou tudo, disse que tinha que ser com ele, que estava sentado na mesa à sua frente. Ele estava atendendo um sujeito, portanto tive que esperar no corredor.


Passa por mim a gordinha feia de regata. Mas você ainda não conversou com a assistente social? Já conversei, mas ela me passou pro doutor Caon. Gesticulando impropérios, ela entrou na sala dos dois, viu que estavam ocupados, ouviu a confirmação do que eu tinha dito da boca de um funcionário que ficava digitando nomes e riscando números. A gordinha com cara de sapo sacudiu a cabeça, e como tinha que ter a última palavra, exclamou ao distanciar-se: então cê aguarde aí.

Finalmente fui atendida pelo doutor, que exclamou que eu já era a enésima pessoa que os camaradas da Unir mandavam pra ele. Ele não tinha poder para autorizar nada, e ia me dizer tudo o que já tinha dito a todos os outros. Rondônia é um estado pobre, com muitas diferenças sociais, então os hospitais ou laboratórios ligados ao sistema de saúde pública eram superlotados. Quando não demora pra conseguir marcar consulta, o laudo demora a chegar. Melhor fazer esses exames pela rede particular, e aí tudo pode te custar em torno de 2 mil reais. Mas você resolve tudo em duas semanas. Se você for pelo SUS, então você tem que fazer uma carteirinha na secretaria de saúde da prefeitura. Mas você não tem comprovante de residência ainda, né? Então não vai dar pra fazer a carteirinha, e sem a carteirinha você não faz exames.

Fui na internet, pesquisar laboratórios de análises clínicas, apesar de suspeitar que não tenho dinheiro pra pagar tanta coisa. Anotei os endereços de uns 3 aqui perto e fui até um deles. A moça me indicou quais outros laboratórios fazem quais exames e quanto custa. Por fim, lembrou que o Dr. Navas faz um pacote para exames de concurso. Viu? Tem gente se aproveitando da burrocracia.

Apesar de tudo isso, ainda não fiz nenhum exame médico. Fiquei presa na imobiliária. Mas esse enrosco é outra estória.

Nenhum comentário: