terça-feira, 28 de julho de 2009

Desorganizações que vêm para o bem

Eu tinha mandado a minha máquina fotográfica pro conserto. Apressei os caras pra trocarem a peça defeituosa, porque eu ia me mudar pra Rondônia ('Rondônia' impressiona mais que 'Porto Velho', porque todo mundo confunde com 'Roraima' e pensa que é lá em cimão). Conseguiram trocar a unidade ótica em tempo, mas quando fui buscar a máquina, ela estava com outro defeito: não entrava no Menu. Devolvi a máquina e avisei que no dia seguinte eu estava de partida. Não tem problema, senhora, mandamos um Sedex pra onde a senhora estiver.

Quando eu estava no hotel em Porto Velho, recebi e-mail da assistência técnica me pedindo endereço. Dei o endereço do hotel. Durante toda a minha estadia no hotel eu perguntava pra recepcionista se eu tinha recebido correspondência. Nada. Embarquei num ônibus e vim a São Paulo. Verifico os meus e-mails e vejo que o cara da assistência me pede o endereço completo pra envio. Deduzo que a máquina ainda está na assistência e ligo lá. Procuraram pela máquina, localizaram o objeto e o mandaram por malote para a loja da assistência no mesmo dia. De noite fui lá pegar. A desorganização deles me trouxe a minha máquina da maneira mais segura.

P.S.: As pilhas e o chip de memória estão em Porto Velho, no porta-malas de uma professora da Unir.

* * *

A Mônica tinha ligado na TAM e disseram pra ela que era tranqüilo transportar gato na cabine do avião. Só precisava de um atestado do veterinário, vacina anti-rábica (decerto pra Akari não desenvolver rabo) e a caixinha de transporte. Disseram que não tinha tempo de carência da vacina, que era a minha preocupação. No balcão da TAM, quando comprei a passagem, as coisas mudaram de figura. Já não tinha mais aquela tarifa que eu tinha visto dois dias atrás, e a loja cobrava 10% a mais do valor da passagem e eu tinha que ligar na TAM pra reservar o espaço do gato, que depois seria autorizado - ou não. A caixinha do gato não conta como bagagem, pois paga uma taxa extra de R$ 90,- e cada quilo do animal custa em torno de R$ 9,-.

Liguei na TAM pra fazer a reserva do gato e uma voz pouco humana me informou que o tempo de espera para ser atendida era de 20 minutos. Quando finalmente fui atendida, a mulher me diz que a vacina precisa ter sido aplicada num tempo de carência de entre 30 dias e 1 ano. Mas a gata foi vacinada semana passada! Então ela não embarca. Precisamos também saber as medidas exatas da caixa de transporte, para sabermos se há espaço na cabine ou se o animal vai no porão, junto com a bagagem. Liguei na Mônica e ela me tranquilizou. A vacina tinha dois meses de idade no atestado e as medidas são 47 x 32 x 29. Voltei a ligar na TAM e o prazo de espera para ser atendido era de meia hora. Quando finalmente fui atendida, a mulher me diz que a caixa é muito comprida para caber na cabine, e que a Akari vai ter que ir no porão.

Carlos me disse que a temperatura no porão é bem baixa e que nem sempre lembram de ligar o ar condicionado lá, porque só vai mala, caixa e essas coisas. E como tem troca de avião em Brasília, a gata vai ser jogada em dois porões diferentes. Sedativos duram no máximo 3 horas, porque não pode dar muito, porque o animal é pequeno e frágil. Ok, me convenceu. Fui no atacadão das pet-coisas e procurei uma caixa que tivesse 36 cm de comprimento, conforme a mulher falou. Não existe caixa desse tamanho.

Liguei na Mônica pra informar que a caixa era muito grande e que a Akari coitada ia no porão. Inconformada, a Mônica procurou caixas de 36 cm de comprimento e não achou. Mediu a gata e concluiu que, como o gato tem 40 cm de comprimento, caixas de 36 não existem. Foi no aeroporto com a caixa, mostrou pra atendente e perguntou se tudo bem embarcar na cabine. Tudo bem.

Liguei na TAM pra mudar a reserva. 14 minutos de espera dessa vez. Quero que a gata venha comigo, na cabine, não no porão. Um momento, senhora. Ah, sim. O seu pedido de porão foi enviado e a resposta que recebemos foi a autorização pra sua gata viajar na cabine. E viva a desorganização alheia!

2 comentários:

Carlos Teixeira disse...

Que bom que deu certo! Fico feliz. Boa viagem pras duas.

Juliana Reis disse...

Vc é uma garota de sorte Lou!!!
ah e a gata tb hehehe
bj