quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Pedalar no acostamento

Eu falo muito de bicicleta, especialmente com estranhos. E sempre vem, invariavelmente, a pergunta: e não é perigoso pedalar no acostamento?
Não tenho medo de ser atropelada, porque afinal de contas estou num espaço segregado, onde os carros não trafegam a 120km/h. O que eu acho ruim, em relação à velocidade dos motorizados grandes (caminhões, por exemplo), é o deslocamento de ar que me empurra pra direita. Na Caloi 10, que é mais leve e tem o pneu fino, essa massa de ar é mais perceptível que na Amarilda. Outra coisa que me incomoda horrores são as buzinadas histéricas que tomo e os gritos desvairados que me são dirigidos. Essas manifestações de euforia alheia me assustam pra carai.
O que eu acho pior de tudo é o tanto de sujeira que tem nos acostamentos. Pedras, pedregulhos, pedrinhas, areia, cacos de vidro, restos de arame, vestígios de um acidente, sobras de asfalto. O acostamento é a parte da via que não é agraciada com obras de recapeamento ou ações de limpeza. Olha o naipe do metal que tirei do meu pneu. Nem sei o que é e pra que serviu - antes de furar o meu pneu e a minha câmara. Sorte que eu estava a menos de 2 km de casa.

Nenhum comentário: