terça-feira, 11 de maio de 2010

Maracujá nativo

Desci da minha bicicleta e caminhei até a flor que eu já tinha espreitado tantas vezes. Eu imaginava que fosse maracujá pelo fato de ser trepadeira, mas estava sempre sem máquina fotográfica na bagagem. Parece que eu só conseguiria me certificar que é um maracujá através das lentes da máquina. Portanto, não valia a pena chegar perto dela sem poder registrar sua imagem.

Quando cheguei perto da flor que eu nunca tinha visto com tantos detalhes, ouvi a bicicleta tombando com o peso do alforje. O computador estava lá dentro, mas isso não importava. A prioridade era dessa flor. Sou levemente apaixonada por passifloras: elas se manifestam em formas e cores tão variadas, e ainda assim se fazem reconhecer.

Quando terminou a aula, uma aluna veio me perguntar o que eu tinha ido fazer no mato. Ao passar pela BR de moto, ela tinha visto a minha bicicleta caída no chão. Me localizou no mato e concluiu que a aula seria sobre ecologia. Não foi sobre ecologia, mas foi memorável.

2 comentários:

Phil disse...

Ai que inveja!

aqui na alemanha só tem pouquissimos tipos de passiflora, e eu também sou apaixonado por passifloras.

aiai...

Ana disse...

Um amigo meu não gosta de passifloras pq "elas são perfeitas demais!" nas palavras dele. Já eu adoro passifloras, tenho um pé bem comum no meu jardim e vi algumas diferentes no jardim botânico. Nunca tinha visto uma assim como esta da sua foto, muito bonita mesmo... vale tombo de computador sem dúvida.