domingo, 23 de maio de 2010

Ciclista urbano


Lembro que a decisão de pedalar na cidade grande (me refiro a São Paulo) não foi fácil. Eu tinha medo que a minha bicicleta chamasse muita atenção, o trânsito parecia um monstro cinza e a topografia da cidade me parecia meio irregular com suas ladeiras e buracos.

Lembro também que a primeira travessia da cidade monstruosa não contou com nenhum contratempo. Não me senti visada, espremida ou quebrada. Depois de praticar o ciclismo urbano, me convenci de que não era nada demais usar a bicicleta como meio de transporte. Os riscos mudam de cidade pra cidade (em São Paulo os vilões são os motoristas de ônibus perto dos pontos, em Campinas os motoristas preferem a buzina ao freio, em Porto Velho o povo é sem noção de espaço e tempo), mas enquanto houver respeito no trânsito, não tem muito erro.

Quem fica maravilhado com esse meu hábito de ir pra Unir de bicicleta é quem não usa a bicicleta como meio de transporte ou simplesmente tem medo de coisas abstratas na BR (sei lá o que passa na cabeça das pessoas, mas não há motivo pra se ter medo da BR). O medo paralisa.

É dirigindo que se aprende sobre as dimensões do veículo, é pedalando que se aprende a ser um ciclista urbano, é caminhando que se aprende a viajar, é cozinhando que se aprende a comer, é escrevendo que se aprende a produzir bons textos.

Nenhum comentário: