domingo, 20 de setembro de 2009

Bicicleta no trânsito

Em São Paulo aconteceu, dia 17, o Desafio Intermodal. Esta é a quarta edição do evento que foi concebido por cicloativistas que queriam evidenciar que o carro não é o veículo mais eficiente numa cidade altamente congestionada como São Paulo. Trata-se de uma competição entre diferentes modais. O ponto inicial e o de chegada são pré-definidos, o caminho cada qual traça para si. Isso significa que um pedestre tem mais liberdade de escolher seu caminho que um motorista.

No ranking dos resultados, André Pasqualini alistou os tempos dos competidores e os custos por viagem e para o planeta. Uma moto e duas bicicletas foram mais rápidas que o helicóptero. Mas tanto a moto como o helicóptero bebem combustível e cospem fumaça. E a bicicleta que ganhou o desafio era uma fixa, ou seja, uma bicicleta sem marcha.

Willian Cruz escreve muito mais e melhor sobre o assunto. O que eu quero dizer é que a bicicleta é um ótimo meio de transporte. Quando os meus alunos perguntam por que eu venho de bicicleta pra Unir, consigo apresentar um bom argumento quando digo que só demoro meia hora. Poluição, qualidade de vida, custo e outras coisas são argumentos que fariam pouco sentido pra eles.

* * *

Aqui em Porto Velho as pessoas reclamam do clima e do trânsito. De fato, rotatórias são um grande causador de congestionamentos. Há sinalização de PARE no chão, dentro da rotatória, na faixa interna. Isso pra mim é um contra-senso. Aprendi que numa rotatória, a preferência é de quem está dentro dela. Mesmo reclamando das filas de carros parados nos "trevos", os rondonienses continuam comprando carros. Quanto maior, melhor. Estimo que a proporção de SUVs para carros normais é de 1 para 3. Mentalidade de coroné.

Bicicleta é coisa de pobre. Vejo Barras Fortes de todas as cores, transportanto toda sorte de coisas, inclusive famílias de 4 cabeças. Algumas possuem placas de trânsito, mas isso não garante que o condutor da bicicleta obedeça a (ou mesmo conheça) as leis de trânsito.
Fonte: Yehuda Moon

Ei, você não pode andar entre duas faixas desse jeito! Encoste aí.

*suspiro* Era só uma questão de tempo.
Não, não, tudo bem. Eu só preciso passar estes carros que estão impedindo o trânsito-
Encosta agora!
Não achei mesmo que ia dar certo.
Fonte: Yehuda Moon

Eu conheço vocês, ciclistas.

Ficam gritando coisas sobre leis de trânsito para os motoristas e depois pedalam no trânsito de qualquer jeito.
Isso é porque as leis de trânsito não foram feitas pra nós.
Faça bom proveito.

Ok, perdi a piada do 'suit you', mas o argumento continua válido. As ruas foram feitas para veículos motorizados e velozes, o acostamento sempre é a parte negligenciada da estrada, o ciclista não é instruído para conduzir seu veículo e considerado como um ser menos evoluído na escala do consumismo desenfreado.

5 comentários:

Juliana disse...

Lou fiquei imaginando uma barra forte com uma família de 4 cabeças. Vc sabe que lembrei da medusa hehehe
bj

Willian Cruz disse...

Acho que ele quis dizer algo como "multe-se", pedindo para ele multar a si próprio, sob suas próprias leis. Não sei se peguei a piada... E obrigado pelo link. ;)

Willian Cruz disse...

Depois que escrevi fiquei pensando e lembrei que "suit" é processar e não multar (que é "fine"). Mas continuo sem entender a piada! :D

iglou disse...

Oi, Willian
Então, 'sue' é processar, ao passo que 'suit' pode ser um monte de coisas, inclusive processo judicial, mas aí é 'lawsuit'.

'As it suits you' significa 'como lhe convém'. 'Laws and traffic don´t suit us' já significa que 'leis e trânsito não se adequam a nós'. Por fim 'suit yourself' equivale a 'faça como quiser' ou 'faça bom proveito'. A piada está em usar a mesma palavra 'suit' nos dois lados da argumentação.

Willian Cruz disse...

Valeu! :)