segunda-feira, 4 de maio de 2009

Virada cultural

24 horas de atividades culturais gratuitas espalhadas pela capital. A virada começou às 18:00 do sábado, virou a noite e terminou às 18:00 do domingo. A programação era extensa demais e eu não conhecia quase nada do que tava no cardápio. Resolvi chamar os amigos e ver o que eles escolhiam.

Mas me atrasei pra ver o mesmo show que Telmo e Milena tinham planejado ver no Teatro Municipal, porque demorei pra fazer a mudança - e não tinha noção das filas. Encontrei a Maíra e o Bill e acabei conhecendo o som de Sandália de Prata. Me levaram pra ver Benito de Paula e demos boas risadas do homem que parecia não se lembrar das letras das próprias músicas, sentava no piano e tocava uma nota, ouvia até ela se acabar e tocava outra. De lá fomos ver Geraldo Azevedo, que me fez ter saudades - das boas - do Ruy. Quando tocou Taxi Lunar, me liguei que eu conhecia uma música do pernambucano sossegado.

Dia seguinte, voltei pra ver um maranhense cantar e lembrar por que chamam o Sales de Zeca Baleiro. Mesmo sem ter combinado nada com a Maíra, encontrei a moça no fim do show. Eis que, enquanto contemplamos a multidão que passa, desfila à minha frente um sujeito que parecia não ter mudado nada em 10 anos. Corri até o Paulo Punk e dei um puta abraço no moço. Ficamos rindo de alegria por um bom tempo, antes que os nossos nomes fossem pronunciados. Me espantei que ele continuava igualzinho, ao que ele explicou que tinha emagrecido 16kg nos últimos meses e cortado os rastas. Puxa vida.

Além da parte em que se bota as notícias em dia, é como se eu tivesse visto o Paulo semana passada. É como se a amizade tivesse sido suspensa por 10 anos e agora voltasse a engrenar na mesma boa e velha roda dentada. Que continue girando depois da Virada!

2 comentários:

bill disse...

E ano que vem estamos lá de novo!!!
(ou em Roraima também tem virada?)

iglou disse...

Rondônia, Bill, Rondônia!