domingo, 29 de junho de 2008

Bicicletada Junina

Vestidos de caipiras, muitos ciclistas foram se ajuntando na Praça do Ciclista, que fica ali onde a Av. Paulista junta com a Consolação. Bandeirinhas foram estendidas, biribinhas foram distribuídas e o povo foi chegando aos poucos.

Algumas pessoas trouxeram comida (principalmente bananas, a comida de ciclista por excelência) pra compartilhar. Também tinha pé de moleque e paçoca, claro.

Caixas de madeira (restos de feira) encontradas nos arrdores foram reduzidas a tábuas e foi feita uma fogueira de São João.

Apareceu um sanfoneiro ciclista, que animou a galera a dançar e teve quadrilha, claro.

As pessoas se divertiram dançando, se pintando de caipira, conversando com velhos conhecidos e conhecendo pessoas novas. Eu, por exemplo, conheci a organizadora de um grupo de mulheres que pedalam de noite chamado Saia na Noite. A mulher era muito simpática, mas o esquema do grupo não me agradou. As mulheres que pedalam uma média de duas horas num determinado dia da semana chegam de carro, pedalam, e voltam pra casa de carro. Elas só pedalam neste grupo, contam com a obstrução de algumas vias (ou a CET ou a monitora trancam o trânsito) pra que possam passar 'em segurança' e não têm autonomia para pedalar na cidade e fazer da bicicleta seu meio de transporte.
A noiva teve uma chegada triunfal, o noivo já estava esperando.Enquanto 300 ciclistas deram uma volta na Av. Paulista, algumas pessoas, que ficaram na praça, prepararam um quentão.
A volta ciclística contou com algumas bicicletas chamativas, como esta, por exemplo. Reparem que há duas telas mostrando o que toca no DVD do homem. Isso é o que dá pra ver. O sujeito também pode fazer a sua bicicleta tocar um som super alto. (Uma bateria de carro alimenta o DVD e as lâmpadas de árvore de Natal.) Durante o passeio pela Paulista, o homem deixou rolar um funk dos infernos (em que créu créu créu era repetido ad absurdum). Eu não queria ser relacionada a essa poluição sonora.
Enquanto pedalávamos, algumas coisas me incomodavam: por que andamos no lado esquerdo da via? Ariel respondeu que do lado direito tem os ônibus. Reparei que am alguns momentos, ocupamos todas as faixas da Paulista. Se eu estivesse dentro de um carro, eu sentiria raiva destes ciclistas que não sabem respeitar o trânsito e ficam gritando que carro faz trânsito, que vão tocar fogo nos carros. Percebi que a grande motivação dos ciclistas é tomar as ruas, se posicionar contra os carros. Notei que as travessas da Paulista eram obstruídas por ciclistas que faziam o 'corking'. De novo, se eu estivesse dentro de um carro e o farol abrisse e fechasse três vezes e eu fosse incapaz de sair do lugar porque tem um ciclista parado na minha frente, eu teria muita raiva dos ciclistas. Os pedestres, no entanto, eram respeitados. Os ciclistas paravam no farol até que o último pedestre tivesse atravessado a rua, mas não esperavam que o farol abrisse, para continuarem seu passeio.
Estes ciclistas não são capazes de se integrar ao trânsito. Ninguém sinaliza que vai virar, muitos não tinham luzes em suas bicicletas e muitos não sabem que ciclista nunca deve andar na contramão e nunca deve pedalar na calçada.
Enfim, de volta à Praça, o herói já estava à caráter e as pessoas se divertiram ao som da música tocada pelo sanfoneiro. Percebi que o que importa pra bicicletada é agregar gente, não educá-los pro trânsito. Estes ciclistas querem ciclovias e não consideram que esta é uma solução cara, que apenas segrega motoristas e ciclistas, mas não faz com que um respeite o espaço e a velocidade do outro. Muitos destes ciclistas são ativistas contra o carro e se orgulham de não possuir uma lata poluidora.
A bicicletada agrega gente de diversas camadas sociais. Vem o gari que pedala todo dia porque não tem dinheiro pro ônibus, vem o maluco que quer exibir a sua bicicleta toda incrementada, vem os mano que são mestres em se equilibrar na roda traseira da magrela, vem os bróder skatista e os mano de patins, vem os doido das bike irada e vem até gente sem bicicleta. A integração desse monte de gente em volta da bicicleta é um fenômeno louvável. Mas o abuso do espaço na rua durante um breve passeio na Paulista é condenável porque não consegue passar ao mundo a mensagem de que a bicicleta é um meio de transporte que pretende ser visto como tal.

Um comentário:

Marcelo disse...

Ola, tendo em vista seu amplo conhecimento social da bicicletada, gostaria de saber se vc seria capaz de ajudar a produzir um folheto explicativo de como se comportar no transito, ou mesmo na bicicletada, tanto pra quem ja pedala faz tempo, como pra quem nunca usou uma magrela.? Voce me ajuda? Eu te ajudo...
Participo das bicicletadas faz um bom tempo... e tenho 2 carros na garagem...
Quando roubaram meu chevette, sem seguro...que devia valer uns 4 mil reais... pensei que se, ao inves de comprar outro carro equivalente, uma bike de 1500 reais seria muito mais barato... e mais economico pra mim... é engraçado o fato de alguns me acharem playboy por ter uma bike dessas mas o mesmo individuo me chamaria de pobre se me visse com meu chevette... enfim... o que me agrada na bicicletada é justamente essa inversao de valores... enquanto os carros causam congestionamento todos os dias, me dou o direito de causar congestionamento ( de bike ) uma unica vez por mes... Não condeno os corking, mas acho que as vezes eles exageram... como aparentemente não tem regra fixa na bicicletada ( essas regras aparecem quando uma boa alma resolve por conta propria criar um panfleto, xeroca por iniciativa propria, e distribui nas bicicletadas, ou mesmo para as pessoas proximas de onde mora)... as pessoas que participam, cada uma com seus motivos, podem e devem mudar e moldar as caracteristicas desse dito "movimento" . Junte 3 amigos e faça um grupo de ações praticas, menos blogosfera, mais atmosfera..haha... não vou fazer disso um grito de guerra.. eu mesmo ja gritei menos carros, mais bicicletas, mas cansei... prefiro o silencio da massa critica.. é dificil controlar a massa e nem quero esse papel pra mim.

um grande abraço,
Marcelo Siqueira
ps: vamos fazer um folheto indicativo de comportamentos? Manjo um pouco de diagramação, coreldraw e sei desenhar mais ou menos.
vadebike@gmail.com

ps: parabens pelo blog!