domingo, 27 de abril de 2008

Mais uma cicatriz

Lou, was machst du für Strapazen?
Seria a reação do meu pai.
Caiu de bicicleta?
É a reação mais comum. Tem gente que passou meses pensando que eu quebrei o pé num acidente de bike...

Pois é, caí. Eu tava andando na rua, e caí. Não lembro de tropeçar, nem pra onde eu tava olhando. Lembro de trupicar, dando uns quatro ou cinco daqueles passos enormes em direção ao chão, pensando 'opa, opa, ai, caramba!' Caí, levantei, vi o sangue na camiseta, passei a mão no queixo e fui pra casa. Da Unicamp até em casa, o pior foram os olhares das pessoas.
Junior me deu Própolis e óleo de copaíba pra limpar a ferida e ajudar na cicatrização. Lembrou que uma gaze seria adequada, e que era melhor eu não colocar esparadrapo, porque ele poderia abrir a ferida quando fosse retirado. Mas sem esparadrapo, o queixo ficava aberto. Eu não ia passar o dia segurando o meu queixo. Fui até a geladeira e peguei o tubo de Superbonder. Já ouvi dizer que cirugiões usam cola ao invés de darem pontos. Junior brigou comigo e eu botei a cola na geladeira de novo. Pus band-aid na ferida, pra mantê-la fechada e passei um dia sem mastigar, rir ou fazer determinados exercícios de Yoga.
Pronto, tenho mais uma marca de como a minha vida é cheia de aventuras: caminhar pelas calçadas de Barão Geraldo foi a minha mais recente.

Um comentário:

Steph disse...

aie aie aie!!! Take care of you LOU!!!