quarta-feira, 8 de abril de 2009

Música por todos

Eu queria comemorar o meu aniversário com música. Dessa vez não teve cardápio programado nem casa cheia, mas muita música. O ponto alto foram as músicas infantis (tinha vários educadores na Oca, a começar por todos os sujeitos das fotos abaixo) atuais e da época em que nós éramos crianças.
Aí começaram a aparecer os instrumentos musicais alternativos: o Sales puxou o serrote, Júnior buscou uma sacola plástica, Ruy achou a leiteira. Mas o serrote era a sensação e a galera queria aprender a tirar som da lâmina.
Tocar serrote não é nada trivial. O arco não toca uma nota aqui e outra ali, mas passa por todas as notas. Tem que mexer a perna que segura o cabo do serrote pro som se prolongar, envergar a lâmina e ainda posicionar o arco de maneira adequada. E o serrote não pode ser o instrumento dominante, apenas acompanhamento, porque o som de casa assombrada é noiante.

Nenhum comentário: