segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Estudando editais

Como o resultado do concurso que prestei em Londrina ainda não saiu (está com previsão de ser divulgado num dia qualquer da semana que vem) e eu não tenho a sensação de que a vaga na UEL é minha, estou estudando editais de outras universidades. Algumas coisas me chamam atenção.

O salário oferecido pelas universidades estaduais pro cargo de professor adjunto (com título de doutor, dedicação exclusiva, 40 horas semanais) é metade do salário oferecido pelas federais pro mesmo cargo.

Depois das eleições, todos os editais pedem que, no ato da inscrição, o cadidato apresente cópia do Título de Eleitor e comprovante de votação na última eleição.

O edital da federal de Sergipe deixa claro que as inscrições não podem ser feitas via postal, ou seja, é preciso viajar até lá para fazer a inscrição. Sinto muito, mas isso é muito sacrifício.

O edital da UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco) pede que, no ato da inscrição, o candidato apresente uma carta de recomendação de dois Professores Universitários (sim, com letra maiúscula). Além desse disparate (pôxa, é um concurso, e o que conta é o desempenho do candidato nas provas, não a indicação de professores), tem mais outro: pedem documento oficial que comprove que o candidato não possui antecedentes criminais. Sinto muito, mas não quero trabalhar num lugar que precisa assegurar sua qualidade acadêmica através destes meios.

2 comentários:

Natalie Rios disse...

Estou fazendo a mesma coisa neste exato momento (mas não para professores em universidades).
O Instituto Chico Mendes abriu vagas!

Natalie Rios disse...

Edital para reingresso Extra-Vestibular (pensando em cursar alguma outra coisa).
A UFRPE também só aceita inscrições pessoais.
Como se fosse fácil sair viajando por aí, né?