quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Acupuntura

Sou uma pessoa que tem medo de agulhas. Vejo muitos filmes por entre os dedos da minha mão, que deveriam servir pra me poupar das cenas com agulhas e sangue. Ainda não consegui doar sangue porque tenho ferro de menos no sangue e porque tenho medo de desmaiar no Hemocentro.

Essa introdução serve pra convencer o leitor de que a última coisa que eu faria voluntariamente é acupuntura, coisa que tradicionalmente envolve agulhas. Pois bem, tenho um pé inchado por causa de uma fratura + cirurgia de mais de ano. O meu sistema linfático, que é lento mesmo, não conseguiu se ajustar ainda. O volume do pé não me incomoda, o que me incomoda é que o pé direito ainda não voltou ao normal, ainda não está parecido com o esquerdo. Mas então por que reclamar agora? Porque tem outra coisa: um médico me disse que o que eu sempre interpretei como sendo TPM nada mais é retenção de líquido. Por isso a pressão na cabeça, os vômitos e a incapacidade de ingerir qualquer coisa. Não é todo mês, nem tem regularidade capturável, mas mês passado foi 3 vezes. Se o meu corpo está retendo água, quem não está funcionando? O sistema linfático.

Toca pedalar até a acupuntura que o Junior indicou. Dra. Silvana não é oriental. Mas pratica medicina oriental, portanto precisava seguir o protocolo. Quis saber a história da minha vida, anotou tudo, me perguntou duas vezes se não tenho namorado, quis saber dos meus humores. Não sofreu nunca de depressão? Não se classificaria como uma pessoa melancólica?

Examinou o me pé e decidiu que as outras técnicas (massagem, laser e eventuais outras) demorariam muito tempo, demandariam muito esforço e que as agulhas, que estavam ali, em cima da mesa, seriam a melhor opção. Quis me mostrar as agulhas, insisti que não o fizesse. Me espetou em vários lugares. Senti que o corpo pesava cada vez mais. Conversou comigo e deixou as agulhas fazerem seu efeito por 20 minutos.

Sentada na mesa dela, quis saber como funciona a cura pelas agulhas. Mostrou um boneco com centenas de pontos, que são chamados de meridianos e logo o seu discurso se tornou evasivo. Mas tudo isso é muito mais profundo, se você quiser, a gente conversa mais sobre isso em momento oportuno, a ciência já validou a acupuntura, mas ainda não sabemos qual é o princípio por trás de tudo etc.

Esse mais profundo é o mesmo que eu ouvia do Junior quando fazia aula de Tai Chi com ele. O que querem dizer com isso? Que não acreditam que eu, não-iniciada, seja capaz de entender o que forem dizer? Ou que não se sentem autorizados a explicar algo que não faz parte de sua cultura, mas que foi adquirido, aprendido com resistências e talvez ainda não foi completamente assimilado por estes porta-vozes da medicina/cultura/filosofia oriental?

Quando alguém me pergunta o que eu estudo, tento explicar o objeto das minhas atenções acadêmicas de maneira simples, de modo que eu possa verificar se a pessoa me acompanha no raciocínio. Nunca assumo que o que eu estudo é tão maior que a capacidade de compreensão da pessoa. Acho que é por isso que o mais profundo, depois a gente pode conversar mais sobre isso, me irrita tanto: assumo que a pessoa duvida da minha inteligência.

Mesmo assim voltarei na acupuntura semana que vem, pra permitir que eu seja espetada pelas agulhas da Dra. Silvana. Porque, afinal, quero que a técnica funcione, não que a pessoa que me aplica as agulhas seja oriental, zen e imersa nessa cultura que desconheço.

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá! as melhoras do pé. Para diminuir o volume, é Pôr o é em água qente e sal grosso. beijos e as melhoras.

Natalie Rios disse...

A maior dificuldade da medicina oriental talvez seja a dificuldade de verbalizar do que se trata. Eu não saberia explicar.

Tenho uma "terapeuta" em SJC que opera milagres! Ela é polivalente além de agulhas faz massagens, choques, e é quiropraxista. Muito boa, se quiser testar alguma vez, fazemos um passeio pelo Vale do Paraíba e te levo lá (em Dezembro to de volta).

Agora uma questão ortográfica, talvez mais banal: é AcuMputura, ou acupuNtura?

iglou disse...

Pessoa anônima, valeu pela dica.

Natalie, valeu pelo toque. Houaiss mandou dizer que é aCUpuNtura e eu já troquei tudo.
Será que nos veremos em dezembro? Hehehe.