sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Gramado na minha memória

Peguei um rabo de conversa do meu primo com os amigos dele.
- Gramado tem duas estações: tem o inverno e a estação rodoviária.
Tem certa semelhança com a imagem que eu tenho de Gramado.

Gramado é frio, úmido e muito verde na minha memória. Gramado é identificação com os meus avós maternos, com a família Kleine. Gramado é ligado à Casa da Juventude e os cheiros de fogão a lenha e pinheiros. Gramado é sinônimo de espaço a ser explorado com a curiosidade de uma criança.
Gramado acumula diversas gerações e a tentativa mútua de compreender a geração mais distante. Imagino que a Oma não tenha grandes problemas pra entender como funcionam seus filhos, mas a coisa muda de figura quando isso se aplica aos netos. Os bisnetos, então, não são nenhum pouco transparentes.

Oma não entende por que as/os netas/os casados ainda não tiveram filhos e não vê com bons olhos os netos (homens) que dependem financeiramente de suas esposas. Esta não é a 'ordem natural das coisas', segundo sua concepção de papel da mulher, do marido, de família.

Oma fica abismada com a quantidade de brinquedos de plástico (que piscam, andam, fazem barulhos, quebram e são abandonados pelos cantos) que seus bisnetos possuem. Fica ultrajada com a violência banalizada no discurso do menino (filho de pastores) que quer explodir tudo com 30 bombas atômicas. Esse menino não sobreviveu à Segunda Guerra Mundial e não tem noção da violência com que está brincando.

Os contrastes que Gramado envolve me fascinam.

2 comentários:

Denise Quitzau Kleine disse...

A ordem natural para a Oma seria - já dito por ela claramente - casar, ter filhos (no plural), pensar em ter uma casa e, talvez, um carro. Estamos seguindo o caminho totalmente inverso ;D
Abraços,
Denise

iglou disse...

Sim, minha cara, estamos no caminho inverso. Eu, por exemplo, quero primeiro garantir um emprego, depois um companheiro. Aí pensamos em filhos, mas não necessariamente em casa e carro próprios. Vivo muito bem de aluguel, rodando de lugar em lugar, e passo muito bem sem carro.