sábado, 6 de fevereiro de 2010

Os esquemas

Depois de um mês trabalhando na Unir, me inscrevi num curso (mequetrefe) que foi oferecido lá. A mulher que recebeu a minha inscrição quis saber se eu já tinha casa, se eu morava sozinha, qual era a minha imobiliária. Explicou o interesse na minha situação: ela tinha se solidarizado com um professor novo na Unir, que tinha vindo da Unicamp e estava com dificuldades de achar uma casa decente. Aí estava sondando as outras pessoas que ela, de primeira olhada, considerava decentes.

A mulher anotou o meu e-mail e telefone, mas o moço não me procurou. Eu, no entanto, não larguei o osso, porque a ideia de dividir a casa com mais gente começou a me agradar. Procurei o Fernando, escrevi pra ele e ofereci vaga na minha casa. Uma semana depois, ele agradeceu pela proposta, e disse que estava morando com um amigo e que os dois já estavam num esquema de outra casa.

Paulo e eu conversamos bastante sobre morar sozinho ou em república. Ele estava esquematizando o futuro dele, e nesse futuro ele previa um belo aumento de aluguel no apartamento que ele habita sozinho. Robson, professor do Paulo, estava descontente com o apartamento que ocupava e de olho no do Paulo. Não seria esquema eles morarem juntos, porque o Robson é casado e prefere manter a privacidade do casal.

Continuei oferecendo a minha casa pras pessoas (homem/ mulher/ aluno/ professor), mas ninguém se habilitou. De repente, tudo se reverteu. Paulo voltou das férias que passou numas repúblicas e viu que morar em comunidade não é tão ruim. Miyuki estava horrorizada com os preços de aluguel e aceitou o meu convite de morar comigo. Fernando me escreveu dizendo que o amigo voltaria pra Campinas e que segurar a onda sozinho naquela casa seria complicado.

Minha casa é grande, mas não cabe todo mundo. Miyuki já estava no esquema, mas o dos meninos ainda precisava ser arranjado. Botei o Paulo e o Fernando em contato, mesmo sem nunca ter visto o Fernando. Deu jogo. Paulo vai mudar pra casa do Fernando (amanhã) antes mesmo da Miyuki mudar pra cá (semana que vem). Assim que o apartamento do Paulo vagar, Robson entra no esquema e todo mundo fica feliz.

Nenhum comentário: