segunda-feira, 29 de setembro de 2008

About us Festival

Meu ingresso pro festival foi comprado pela Maíra no primeiro dia em que os ingressos foram postos à venda. Queríamos ver Dave Matthews Band ao vivo e em cores. Haveria outras bandas se apresentando também, e o evento todo tinha uma proposta ecológica, mas o que importava mesmo era o Dave Matthews. Era preciso ver o homem de perto, não apenas no telão. Compramos ingressos VIP. A área para Very Important Persons ficava na frente do palco, tinha banheiro próprio (com papel higiênico!), uma banca de cerveja (a R$ 5,00 o copo!) e funcionárias da limpeza coletando lixos largados no chão durante todo o festival (!!!).


Como passaríamos o dia no festival, fiz provisões: meio litro de água e comida. Na entrada, a moça que nos revistou disse que a água podia entrar, mas a comida tinha que ficar. Eu achei aquilo um absurdo: eu paguei por aquelas bolachas, barrinhas de cereais e o caramba, e agora tinha que jogar tudo num saco de lixo? Isso é roubo! O que é feito de toda a comida que todos os 25 mil pagantes de ingresso deixaram naqueles sacos pretos? Não adianta reclamar comigo, moça, eu só trabalho aqui. Ordens são ordens...
O local do evento era a chácara do Jockey, que fica quase lá em Taboão, perto da Francisco Morato. Como o espaço é grande e verde, aproveitaram pra montar estandes em que propostas ecológicas eram expostas: arte através de reciclagem de vários materiais (papelão - olha a Carol sentada num sofá de papelão prensado -, papel, lixo=composteira, peças de automóveis, pneus de toda sorte e garrafas de plástico), reciclagem - sem arte - de bitucas de cigarro; e bicicletas dobráveis chinesas com adesivo da bandeira do Brasil com 6 marchas (1 coroa e catraca de 6). E claro que tinha a praça de alimentação orgânica, que oferecia sanduíches naturais a R$ 9,00. Além de roubarem a minha comida na entrada, ainda me sacaneiam com esse sanduíche natural de frango verde. (Como se vê, ainda estou emputecida com essa estória: paguei R$ 250,00 na meia-entrada do ingresso e ainda me metem a faca lá dentro.)


2 comentários:

Natalie Rios disse...

it´s an ecoworld!
Foda essa história da comida, eu acho que cada umt em que ter o direito de comer o que quer, desde que já esteja preparado (no caso, sou contra um churrasco, por exemplo)

Mas então...
Mini-dicionário amazonense

Tucuxi - boto cinza
Poraquê - peixe elétrico
banzeiro - ondas do rio, de quando venta.
voadeira - barco com motor de popa
PAraná - trecho que liga dois corpos d´água (rios, lagos)
rabeta - tipo de motor
rebojo - redemoinho
pirapitinga - peie carniceiro amazônico
igapó - mata alagada
candirú- peixinho que entra na uretra humana.
jerimum - abóbora

iglou disse...

Obrigada pelo dicionário, Natalie. As imagens ficam então por conta da minha imaginação...