quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Passalinho

Eu estava a caminho do restaurante vegetariano, regido por chineses de Formosa. Ao longo da parede do restaurante caminhava, a passos incertos, um passarinho de asas pequenas e ainda com plumagem delicada e fofinha. A configuração era: parede, passarinho e eu, caminhando a passos largos. À esquerda do passarinho abriu-se um espaço: a escapatória. Eu também virei à esquerda e entrei no restaurante com o passarinho.

Quando voltei do buffet e me sentei, a chinesa estava discretamente procurando pelo passarinho, que passeava por baixo das mesas. A chinesa pedia:
- DescuLpa, passalinho.
e afastava cadeiras, agachava, chamava o passalinho.

Um cliente resolveu ajudar. Ele ficava de um lado da mesa, a chinesa do outro, e quem estava mais próximo do passalinho tentava jogar um pano sobre o passalinho.
Chegaram na minha mesa:
- DescuLpa, passalinho.
O cliente já estava a 3 mesas de sua mesa de origem, e ainda não tinham capturado o passalinho. A chinesa pegou o pano da mão do homem e disse:
- Você come, eu passalinho.

Ele insistiu, agora era uma questão de honra. Conseguiram imobilizar o passalinho embaixo do pano. A chinesa pegou o passalinho com cuidado e o levou

pra cozinha.

3 comentários:

Natalie Rios disse...

Foi no Lótus isso?

Então Lou, saiu meu estágio na amazonia, em breve estarei indo pra lá!
Não será me possiível me juntar a viagem ciclística.
Pero terei uns dias em Barao se quiser tomar um café oou sair pra pedalar...

iglou disse...

Foi no Lótus.
Sim, avise quando chegar, que fazemos alguma coisa.
Beijinho.

Natalie Rios disse...

Lou, to por aqui!
Sem telefone, o meu carregador nao carrega nada!