quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Arquitetura do medo

Na Pinacoteca, no subsolo, havia uma exposição de fotografias intitulada "Arquitetura do Medo". A esmagadora maior parte das fotografias retratava grades. Pessoas, casas, cães, carros atrás de grades.

Lembrei dos vidros fumês que as pessoas botam nos seus carros, pra se refugiar no anonimato, do capacete que eu usava antes de ir pra Holanda, pra que os motoristas pudessem dirigir como imbecis, dos cachorros que são usados pelos brasileiros como se fossem armas que protegem suas casas e latem, desembestados, para qualquer pedestre de passagem. Lembrei dessa foto com os cacos de vidro coroando o muro de casa. Os cacos de vidro me lembraram do corte que atravessa a palma da mão do meu irmão, quando ele, criança, quis pedir pra vizinha do outro lado do muro, que pegasse seu bichinho de pelúcia que tinha voado por cima do muro.

Em nossas casas, carros e bicicletas, estamos sempre nos armando contra ameaças externas. Algumas vezes, essa armadura machuca, em vez de proteger.

Nenhum comentário: