quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Enquanto o sol não vem

Levamos jornal, quadrinhos e livros; e fomos trocando de material de leitura. Olga se empolgou na leitura do meu livro (Antropólogo em Marte, do Oliver Sacks) quando eu já tinha lido o livro dela, o jornal e os meus quadrinhos. Fiquei vendo vaga-lumes, ouvindo a chuva e pensando na vida enquanto ela lia sobre autistas-prodígios.
Não tínhamos vara de pescar, nem balde, nem nada dessas coisas de pescaria. Nos restou observar os outros pescando.
Olga tinha uma coisa a mais do que eu pra fazer enquanto não dava vontade de sair da casa: tricô.
Aí avistamos pedacinhos azuis do céu, o sol sorriu aquele sorriso amarelo e fui até o mar, ver o que o vento trazia. Lá, no rio Guaraú, vi gente remando em caiaques, e tive a brilhante idéia de convidar a Olga pra fazer canoagem.
Mais uma das fotos de Paula.

Nenhum comentário: