domingo, 11 de dezembro de 2016

O pequeno bem-te-vi

Luis e Agnes saíram cedo pra comprar pão. Na volta, tinha um filhote de bem-te-vi no meio da rua, que Luis recolheu. Uma das patas parecia estar lesada e pensamos que ele tinha quebrado o pé quando tentou voar e caiu. Se mexia pouco e não piava.

Ouvimos bem-te-vis lá fora e Luis colocou a caixa com o filhote de passarinho de frente pra mangueira. Depois de um tempo, o filhote começou a chamar e se pôs de pé. E apareceram muitos bem-te-vis, atendendo o chamado. E o gavião de olho. Luis escondeu o filhote no pé de manga e observamos casais de bem-te-vi entrando e saindo da mangueira.
Terminamos o café, cuidei da louça e fui olhar o passarinho. Não tava mais na mangueira. Tava no pé de acerola. Como foi parar lá? Confiei que tivesse aprendido a voar e quando voltei a olhar o pé de acerola, não vi mais o filhote.

Nenhum comentário: