sexta-feira, 11 de março de 2016

Ultrassom morfológico no terceiro trimestre

Como eu ainda não recebi o resultado do exame de sangue que me dirá se tive ou não zika vírus, Luis e eu ficamos ligados na literatura que se produzia a respeito. Percebemos que o ultrassom morfológico (que comumente é feito em dois períodos específicos da gravidez para detectar malformações) estava sendo feito em gestantes com suspeita de zika e que esse ultrassom permitia que se olhasse o cérebro da criança. Não só o formato do crânio, mas calcificações e aumento desproporcional de algumas regiões do cérebro indicariam microcefalia.

Eu já tinha um ultrassom obstétrico marcado com o Dr. Eudes. Minha estratégia foi pedir aos obstetras (pedi para 5 obstetras!) requisições de ultrassom morfológico e, assim que conseguisse, pedir pra secretária do Dr. Eudes mudar o tipo de ultrassom.

O que eu ouvi dos obstetras foi:
1) Não se faz ultrassom morfológico no terceiro trimestre.

2) O bebê está muito grande, não vai dar pra ver nada. Vou te passar um pedido de ultrassom obstétrico, que é o suficiente pra medir a circunferência craniana do bebê.

3) Nenhum plano de saúde autoriza ultrassom morfológico no terceiro trimestre, vou te passar um pedido de ultrassom obstétrico com doppler, que é mais específico que o obstétrico.

4) Os ossos do bebê já estão calcificados, os raios do ultrassom morfológico serão refletidos. Vou te passar um pedido de ultrassom obstétrico com doppler, pra ver a vitalidade do bebê.

5) Mas ainda é muito cedo para ver se o vírus fez efeito. Aqui está o pedido. Vai fazer com o Eudes? Ótimo.

Liguei na secretária do Dr. Eudes e pedi pra mudar o tipo de ultrassom. Ela não me perguntou em que semana estou e fez a mudança.

Achei impressionante o que deu pra ver tudo no ultrassom morfológico de terceiro trimestre. Mãos, pés, cérebro, órgãos todos, até em 3D deu pra ver a carinha da Agnes Maria abrindo e fechando a boca. Entendi que o que eu vejo mexendo na minha barriga é o joelho dela, já que a cabeça já está encaixada e não volta mais. Pelas medidas do meu colo, não há risco de ela vir antes do tempo.

Saímos de lá aliviados. Já não importa mais (tanto) se tive zika ou não, a nossa filha está se desenvolvendo bem: crescendo proporcionalmente e dentro dos padrões de normalidade.

2 comentários:

Unknown disse...

oi lou bom ter noticias suas e da Agnes Maria. Estou sem o seu email e tel. Mande um email para o ig. Abraço

iglou disse...

Olga?