domingo, 23 de novembro de 2014

Ecológico

Estou dando um curso de Introdução à Linguística do tipo que passamos por algumas disciplinas da Linguística (Fonética, Fonologia, Morfologia, Semântica, Sintaxe e Pragmática). Quando fui corrigir o exercício de Semântica em que eu pedia que fornecessem exemplos (sem a definição, sem sinônimos) para algumas palavras, fui surpreendida com as respostas dadas no item ecológico.

Apareceram respostas que eu agruparia em três conjuntos: 1) ecológico é lá fora e lá longe, 2) ecológico é um produto que se compra/descarta, 3) ecológico é uma ação que não degrada o meio ambiente. Exemplos:

1) ambiente ecológico, parque ecológico, jardim ecológico, espaço ecológico, passeio ecológico;
2) carro ecológico, produto ecológico, lixo ecológico, rack ecológico, sofá ecológico, blusa ecológica, papel higiênico ecológico, sacola ecológica;
3) andar de bicicleta é ecológico.

Perguntei quantos na sala andam de bicicleta para a escola/trabalho, como constava nas respostas do exercício. Ninguém. 

Desde que nos ajuntamos em cidades, entendemos que a Natureza fica fora da cidade. Se tudo que está dentro da cidade não é natural nem selvagem, nossos animais de estimação se transformam em filhos. Para ter contato com a Natureza, é preciso sair da selva de pedra, por isso o meio ambiente, a Natureza ficam longe de nós e se transformam em programas de fim-de-semana.

Desde que entraram na moda, "sustentável" e "ecológico" são adjetivos que promovem produtos que, para serem produzidos, poluíram/degradaram muito. Não existe carro ecológico por definição - não só por causa do consumo de combustível (cuja obtenção não se dá sem impactos), - mas também por causa de sua produção: no processo de produção do carro, muitos excessos que não se decompõem na Natureza são gerados. Não existe lixo ecológico por definição - porque se o resíduo voltar a ser incorporado pelo ecossistema, não se trata de lixo, mas de adubo.

Se eu tivesse pedido, no exercício, que  fornecessem exemplos com a palavra "sustentável", é possível que tenha aparecido coisa pior. Desde que entraram na moda, essas duas palavrinhas acompanham qualquer nome de produto ou empresa, vide Energia Sustentável do Brasil (ESBR), o consórcio da UHE Jirau. Lembra da "Revolta de Jirau" em 2011? Lembra das famílias ribeirinhas que moravam em Mutum-Paraná que foram removidas pela Jirau para a company town da empresa, onde ficam alojados os trabalhadores da usina? Lembra da cheia histórica de 2014 que alagou parte da Bolívia? Energia Sustentável do Brasil.

Mas professora, disseram, se ecológico não é nem a natureza, nem as coisas que a gente compra, nem aquilo que a gente acha legal, mas não faz, então qual era a resposta certa?

Respondi que não havia resposta certa, mesmo porque o exercício pedia que escrevessem frases em que a palavra é exemplificada. O que eles responderam foi um reflexo do pensamento e uso da palavra nessa sociedade consumista em que estamos imersos, não uma reflexão sobre o significado de ecologia/ ecológico em si mesmo. Disse que eu esperava que eles fizessem a filosofia da palavra ecológico.

Ah, não! professora, nem me fale em Filosofia porque todo mundo dessa sala aqui reprovou em Filosofia.

Nenhum comentário: