domingo, 14 de abril de 2013

Quem é afásico aqui?

Desde o início do ano, participo de grupo de convivência de afásicos na UFSM, coordenado pela Elenir. Além dos sujeitos com afasia e seus familiares, participam dos encontros (no sentido de planejar e executar atividades) alunas de Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. De linguista tem eu; as outras são terapeutas. Enquanto eu olho pras soluções comunicativas dos sujeitos afásicos, elas olham pros déficits deles para que elas possam classificá-los e pensar em soluções.

Ficamos assombradas quando o sujeito diz 'múmia' em vez de 'pirâmide', mas as nossas parafasias viram motivo de piada: depois de uma dessas longas reuniões, uma aluna chegou pra Elenir pra combinar detalhes referentes ao congresso em Pato Branco. Pato Branco? É Porto de Galinhas!

Outra manifestação afásica é a incompreensão de piadas, por exemplo, que no IEL rendeu teses e dissertações. Lá foi coletado um dado do tipo: "Feliz o Adão, que não teve sogra" - ao que o sujeito afásico reagiu: "Por que? Ele não casou?"

Na reunião passada, uma das atividades envolvia receitas culinárias. Caiu uma receita na minha mão, que eu tinha que ler em voz alta. Na lista dos ingredientes tinha lá '3 ovos inteiros'. Em outro tom de voz, perguntei se era com a casca (dos ovos inteiros). E não é que a aluna de Fono me explica com toda a paciência do mundo que 'ovo inteiro' significa gema + clara?

Lembro da Christine definindo criança a partir da observação dos próprios filhos: "Eles fazem tudo que a gente faz, só que quando eles fazem, fica engraçado." Quando a gente erra, fica engraçado; quando os afásicos falam, tudo vira dado.


Um comentário:

Anônimo disse...

Mas é verdade, no mundo da culinária ovo inteiro significa clara e gema, pois em algumas receitas pode-se usar apenas uma das duas. É como perguntar se tem pão na padaria e o padeiro te entender, ou você dizer que está calor e alguém ligar o ar condicionado. Fica subentendido.