quinta-feira, 9 de agosto de 2012

... e mostro a cobra

Narcísio (meu guia na floresta amazônica) e eu demos a volta por trás do novo laboratório da Biologia e, depois de seguir uma trilhazinha, fomos parar numa fazenda. Movidos pela curiosidade e intrigados por ver uma fazenda em pleno território da UNIR, quisemos avançar até o casarão. Mas havia uma cobra amarelo-esverdeada de quase dois metros no meio do caminho. Eu dei três passos pra trás, Narcísio se aproximou da bicha, dizendo que ela era linda. Essa cobra, descobrimos depois, não é peçonhenta, mas é brava: saímos de lá de fininho depois que ela deu dois pulos ameaçadores.

Nenhum comentário: