quinta-feira, 17 de maio de 2012

Greve nacional

Foi deflagrada a greve por tempo indeterminado hoje de manhã no Paulo Freire. Trata-se de uma greve por salário, plano de carreira e melhores condições de trabalho.

Achei muito engraçado ver todas as figuras que se empenharam em acabar com a nossa gloriosa greve contra a corrupção na UNIR defendendo a adesão à greve nacional. Quando se trata de aumentar o salário, todos eles viraram revolucionários.

Quem esteve lá, viu que eu não votei a favor da greve. Porque considero que estamos no semestre pós-greve, com apenas duas semanas de recesso durante o ano de 2012 inteiro. (Meus 45 dias de férias, a rigor, não cabem nesse ano.) Me abstive de votar para deixar claro que não estou disposta a integrar esse comando de greve, revisar ou melhorar texto de ninguém, passar por medos e paranoias.

Nenhum comentário: