quarta-feira, 21 de março de 2012

Sobre ficar adulto

Acho que a gente se convence de que virou adulto quando não entende mais as crianças. Hoje, na saída da escola, um grupo de crianças se ajuntou na sombra da sibipiruna na frente de casa. Desligaram o disjuntor e fiquei sem energia. Riam enquanto corriam. Quando saí na rua, uma retardatária me fez sinal de que não tinha sido ela a desligar a força. Não entendo a graça de aborrecer desconhecidos.

Logo em seguida veio a chuva, raios e trovões. Me senti vingada nos trovões imensos, densos e assustadores. Pena que os raios provocaram o corte de energia.

Ao anoitecer, de maneira totalmente inadvertida e aparentemente desmotivada, caiu a força de novo. Fui ver o disjuntor, não era travessura de criança. Era a sorte de morar nessa parte do Cohab.

Nenhum comentário: