segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Meu tempo de volta

Sim, eu fui avisada. Mas insisti. A curiosidade venceu. E quem levou o prejuízo fui eu. No começo, eram as mesagens fofinhas sobre "graça" e a luz estourada que me incomodavam. Depois o movimento de câmera foi me nauseando. Os ângulos e enquadramentos da fotografia eram tão ousados, que beiravam o absurdo. Notei que o som era constantemente preenchido, mesmo que a trilha sonora fosse uma nota só. Daí eu percebi que não estava conseguindo acompanhar o fio narrativo. Quando o filme começou a contar a criação do universo, tive que rir pra não chorar. Na verdade, eu gargalhava de desespero. O que Brad Pitt e Sean Penn estão fazendo nesse filme?

A árvore da vida é um dos piores filmes que eu já vi na minha vida. Totalmente evangélico, totalmente americânico, altamente embaralhado: sobre tudo, mas ao mesmo tempo sobre nada. Passa do macro ao micro como passeia entre passado, presente e pós-morte.

Tive que ler outras resenhas sobre o filme, porque eu não acreditava que esse filme tenha saído dos estúdios. E todas as resenhas que li eram positivas e viam a glória do filme. Quando li que ganhou a palma de ouro em Cannes, vi o mundo mergulhado numa nefasta onda new age.

Eu jamais assistiria um filme do Padre Marcelo ou Chico Xavier, porque esses filmes são claramente marcados como filmes religiosos e que veiculam uma religiosidade da qual não compartilho. As credenciais de A árvore da vida são: Brad Pitt, Sean Penn e palma de ouro em Cannes. Nenhum desses três elementos indica, nem de longe, que o conteúdo do filme é uma oração.

2 comentários:

Vivianne Pontes disse...

Todos acham que o imperador tá de roupa nova nesse filme. Só pode. Eu vi o imperador pelado e minha alternativa foi rir por um tempo. Depois cansei de ficar vendo descanso de tela.

Beijo.

francismarys disse...

Depois de 20 dias e duas tentativas frustadas (ZzZZzzz), terminei de ver esse filme. Que porcaria!!! Pretensioso, enredo fraco, chato... Já falei pretensioso? Já falei porcaria? (rs) Você tem razão, é uma oração. Morri!
Espero que essa moçada crie vergonha na cara e volte a explodir coisas, é o tipo de filme que eles sabem fazer!