sábado, 24 de setembro de 2011

Quem assina

Quando, durante o meu estágio docente, eu dei aulas de Neurolinguística pra graduação na Unicamp junto com a minha orientadora, passamos um filme sobre Alzheimer. Pra nós (os alunos e eu), tudo era novidade, inclusive a crítica da minha orientadora ao filme. Ela chamou nossa atenção pro fato do filme sobre Alzheimer ter sido elaborado e financiado pela Novartis, indústria farmacêutica. Através do filme, a Novartis apresenta o problema (o Mal de Alzheimer) e a solução (as drogas da Novartis).

Comecei a desenvolver gosto por livros de difícil classificação: alguns sebos e livrarias classificam-nos como livros de Arte, outros de Fotografia, outros de Botânica ou Viagem. São livros grandes, com mais imagens do que texto. O primeiro que comprei era sobre a Mata Atlântica: As árvores e a paisagem. Logo estranhei os erros de português e fui checar a editora. Editora Paisagem do Sul (Porto Alegre), realização Instituto Souza Cruz. Cigarros Souza Cruz. Sei que Santa Cruz do Sul, por exemplo, a 2 horas de ônibus de Porto Alegre, é um pólo produtor de tabaco. Imagino que este livro seja uma das atividades de compensação da empresa (pelo desmatamento da área de plantio, pela monocultura, pela poluição do solo através de fertilizantes e agrotóxicos, pelo transtorno que a irrigação de grandes plantações causa, pelos males causados pelo cigarro). Deve ser parecido com o que a Petrobras, maior mecenas das artes no Brasil, faz com o audiovisual.

Num momento de falta do que fazer na Unir, fui na biblioteca, admirar a nova ordenação do acervo. Me perdi na seção dos dicionários e acabei levando dois livrões pra mesa: um sobre as mulheres na Amazônia, outro sobre as estradas no Brasil. Ambos eram doações à biblioteca. O das mulheres tinha 90% de fotos em preto e branco. Reparei que em muitas das fotos espelhos, batom, unhas pintadas e olhos maquiados estavam em evidência. Quem assina esse livro? A Natura. O livro das estradas era da Skania.

Hoje peguei no Por onde andamos: um relato das viagens dos caminhoneiros pelo Brasil. Editora Desiderata, realização Ultracargo, empresa de logística. Os textos são fruto de entrevistas com os funcionários da empresa. Botaram o fotógrafo pra percorrer mais de 20 mil km de caminhão pelo Brasil e montaram um livro bonito. Esse me parece ser o empreendimento mais legítimo de todos: dar voz aos caminhoneiros (pouco valorizados enquanto indivíduos, mas essenciais para o fluxo de bens no país). Este livro traz estórias, não vende ou promove produtos, nem pretende vender "responsabilidade social".

Nenhum comentário: