quarta-feira, 20 de julho de 2011

Marido de aluguel

Vi um Uno todo decorado com os dizeres "Marido de aluguel". Achei engraçado e comentei com uma amiga que "aqui em Porto Velho tem cada coisa". Ela riu e me explicou que o nome era uma brincadeira, mas que o serviço que eles ofereciam era sério: pequenos reparos na casa. Em Barão Geraldo, a empresa que faz(ia?) esse tipo de serviço se chama Emergency House. Os caras trocavam telha, limpavam caixa d'água, destupiam encanamentos, trocavam torneira e válvula de descarga.

Minha casa tinha três bocais de luz sem interruptor correspondente/ funcional. As duas luzes externas faziam falta, a terceira nem tanto. Procurei por "marido de aluguel" na internet e fui anotando os números de telefone. Primeiro liguei nos fixos, depois nos móveis. No primeiro fixo aconteceu o seguinte:

- Alô.
- Oi, é do serviço "marido de aluguel"?
- Era, não é mais.
- Ok. 'Brigada.
- Heeeein, mas que tipo de serviço que é?
- Hm, não, obrigada.

Desliguei o telefone lembrando de uma conversa que eu tinha ouvido no banco sobre como o desemprego está forte em Porto Velho.

Liguei num celular e uma mulher atendeu. Disse que o marido dela voltava pro almoço, que ele me ligaria de volta e daí a gente combinava. Engoli a piada sobre alugar o marido. Depois do almoço, o homem ligou. Expliquei que eu precisava de serviço de eletricista, ele topou. Ouviu as instruções pra chegar aqui e demorou uma hora e meia pra aparecer. Maridão, hein!

Ele me tratou pelo meu nome o tempo todo, me explicou sobre circuitos, energia e fios de telefone que conduzem energia elétrica e cobrou o que os caras da Emergency House também cobrariam. E agora a minha casa tem luz por dentro e por fora. Superfantástico.

Um comentário:

Andréia Costa disse...

kkkkkkk
morri de rir das piadinhas!!