quarta-feira, 1 de junho de 2011

Obscuridades na Claro

Na metade de abril eu estava sem internet. Recebi uma ligação de uma moça que alegou haver uma parceria entre Oi e Claro e que a previsão era que eu ficasse sem internet Oi por seis, sete meses. Impressionada com essa perspectiva, dei-lhe meus dados cadastrais e me cadastrei na promoção de internet móvel. Para finalizar o contrato, eu teria que aguardar a ligação de outro atendente da Claro. A abordagem já não foi muito às claras.

Pensando sobre essa conversa, e depois contando pras pessoas, me convenci que tinha sido vítima de trote. Até fiz BO pro caso do meu nome aparecer na lista negra do SPC. Choveram ligações da Claro, mas eu não atendi. E as que atendi, desliguei assim que a pessoa se identificava como funcionário da Claro. A insistência deles tornou a minha vida opaca. O modem 3G de internet móvel nunca chegou, as ligações cessaram e eu achei que tivessem me esquecido. Afinal de contas, eu não tinha assinado nada.
Eis que a Claro manda a conta do plano de internet que eu nunca usei. Minha vista escureceu. Liguei lá e quase desanimei diante do menu de opções: disque 1 se você é cliente ou disque 2 se você quer conhecer nossos produtos. Eu definitivamente não queria conhecer os produtos Claro, mas poderia me considerar cliente? Tudo bem, recebi a conta deles, o que me qualifica como cliente, mas não usei nada deles, o que me desqualifica como cliente. Diquei 1. O passo seguinte era ainda mais no escuro: digite o número da sua linha. Digitei no número do meu telefone fixo, que é o canal pelo qual me acharam. Dados incorretos. Por coincidência, tenho um celular Claro. Digitei esse número. Pacientemente ouvi o meu saldo, a validade dos meus créditos, bônus, as promoções em que estou cadastrada e suas definições. Só depois desse túnel escuro e frio é que se abriu um menu de possibilidades. Depois de ouvir todas as possibilidades, disquei 9, "para falar com um dos nossos atendentes".

A moça do atendimento geral me ouviu, me fez esperar um tempão e me transferiu para o setor de contas. Demorou muito para atenderem no setor de contas. Essa moça me ouviu, me fez esperar, me explicou que o meu problema não era a especialidade dela e me transferiu para outro setor. Depois de muito esperar, uma moça do suporte técnico atendeu. Duvidei que ela pudesse me ajudar, mas mesmo assim ela conferiu os meus dados, me ouviu, me fez esperar e transferiu para a Cristiane, que não me revelou em que setor trabalha. A antipática Cristiane me ouviu cuspindo veneno, me fez esperar soltando fumaça e me transferiu para o setor de cancelamentos. Quando cheguei ao fim do labirinto, a moça com dicção péssima e falando rápido demais me ouviu, me fez esperar e anunciou que estava tudo bem, que era pra eu desconsiderar aquela conta. Ela teve que repetir tudo duas vezes e até ofereceu de retornar a ligação, já que os meus ouvidos não estavam acompanhando o que ela dizia. Com medo que ela nunca ligasse, pedi pra ela repetir tudo devagar, quase soletrando. Meus ouvidos haviam se transformado num buraco fundo e escuro que ecoava sons difusos.

Toda essa estória começou obscura (parceria entre Oi e Claro). Eu não assinei nenhum contrato para adquirir o modem 3G, e quando chegou a conta e a "contestei", novamente não assinei nada, nem recebi nenhuma confirmação por escrito de que aquele contrato foi cancelado e estou isenta de pagar a conta de um produto que não usei. A moça da voz cinza e dicção fanha em alta velocidade me disse que o número do protocolo dessa ligação (que passou por 5 atendentes) era a minha garantia de que o contrato tinha sido desfeito.

4 comentários:

Mônica disse...

Para vc se garantir, solicite a gravação do atendimento. É seu direito por lei (Código de Defesa do Consumidor) e, portanto, gratuito.

As empresas geralmente passam um link de onde vc pode baixar o arquivo.

iglou disse...

Mônica,
muito obrigada!!
Sabia que você saberia como proceder nesses casos.

Mônica disse...

De nada! :)

Telmo Teramoto disse...

caso nao cancelem esse contrato (que nao é raro acontecer) sugiro juntar todas as cobranças e ir no procon solicitando ressarcimento em dobro por cobrança indevida... pela minha experiencia com empresas de telefonia acho que nao vale a energia ficar ligando novamente caso nao cancelem...