segunda-feira, 28 de março de 2011

O bote

Um ex-aluno de Medicina, filho de veterinário, me contou um dia que tinha criado cobras. O que ele dizia sobre controlar o tamanho do animal pela alimentação era óbvio pra ele, novidade pra mim. Mencionou como era difícil controlar a qualidade da comida: os ratos que criava cruzavam entre si e morriam logo. A cobra, como animal de bote que é, não se alimentava de animais mortos. Ele até tinha tentado enganar as cobras, movimentando o rato morto com a vareta, mas não deu certo.

Dar o bote significa atacar aquilo que se movimenta. Shaoran era fascinado por borboletas, e chegava a expressar (quem tem animal em casa aprende a interpretar suas expressões faciais) decepção quando percebia que a borboleta parava de se movimentar.

Akari vive correndo atrás de lagartixas. Ontem trouxe um calango meio morto, meio comido pela metade. Enquanto ele se mexia, ela se entretinha com ele. Quando as forças dele se esvaíram, ela deixou o bicho pra mim e foi caçar outros.

Contudo, dar o bote não tem a ver unicamente com o movimento, mas com a direção do movimento. Quando Shaoran era muito pequeno, apareceram três cachorros do tamanho da Akari na porta de casa. O gatinho correu dos cachorros. Enxotei os intrusos e gargalhei quando observei o Shaoran correndo atrás deles, meio que reforçando que esse território é dele e ai de quem voltar.

Akari também me surpreendeu. Um dia eu tava com ela no quintal. Um passarinho (pequeno) pousou no chão e se movimentou na direção dela. Ela se encolheu toda e deu uns passos pra trás. Quando esse mesmo passarinho parou e se movimentou para longe da gata, ela deu o bote.

A caça corre, o caçador dá o bote. Quando a caça se movimenta na direção do caçador, ele foge. Não sei se isso vale pras cobras e os ratos avançando pra cima das cobras...

6 comentários:

ogum odinn disse...

tá filosófica. gatos são interessantes:
http://cachorro-morto.blogspot.com/2010/12/gatos.html

http://cachorro-morto.blogspot.com/search?q=une+nuit

Érika Lima disse...

Meus gatos se contorcem para parecem maiores do que são quando aparece algum outro animal!

Gostei do novo visual do blog.

iglou disse...

Vixe,

filosófica não sou eu, mas os textos que você mandou. São teus?

odinn disse...

são meus, do blog em coma. muito pretensiosos, né?

iglou disse...

Quer confete?
Não, não são. São legais - e muito.

odinn disse...

nada de confete. enrosca no cabelo. meus blogs não têm meu nome sequer. não precisa. quem conhece, conhece, quem não, não perde nada.
gatos são sempre pretensiosos, mesmo quando são os personagens.