terça-feira, 15 de março de 2011

Não fazem milagres

O BioWaschBall que eu uso no lugar de sabão em pó lava bem a minha roupa, mas não faz milagres. Pra tirar as manchas de terra, tive que deixar a roupa de molho no sabão em pó e esfregar pra caramba. E isso que eu usei um sabão que provavelmente - eu não assisto TV, portanto não acompanho as propagandas - promete fazer milagres. Basicamente todos prometem.
Não sei o que teria acontecido se eu tivesse trocado o sabão em pó pela bola verde. Será que o sabão teria lavado as manchas de terra, ou será que eu teria que aplicar o mesmo procedimento de esfregar a roupa?

Pois é, os produtos eco-friendly não prometem, nem fazem milagres. O BioWaschBall não promete lavar melhor, apenas garante poluir menos. 

O coletor menstrual não promete um período menstrual seco (nos primeiros dias, vaza mesmo), apenas garante uma significativa redução de lixo (sem absorvente tipo modess não dá nas duas primeiras noites, mas é só nessas ocasiões que ele se faz necessário).

A composteira não promete a extinção de lixo orgânico, mas fecha um ciclo natural.

Os produtos orgânicos não são mais baratos (a lógica do consumidor capitalista é: quanto mais barato, melhor). Pelo contrário, são mais caros porque demandam tempo, cuidados e proteção contra todos os pesticidas usados no entorno. Garantem a diminuição de agratóxicos no organismo do consumidor e no solo.

A sacola retornável é revolucionária em tempos de excesso de plástico, mas não faz milagres. Há quem argumente a favor do uso das sacolas plásticas do supermercado, dizendo que elas servem para acomodar o lixo doméstico. Sempre haverá sacolas plásticas para o lixo doméstico. A diferença é se elas são gratuitas ou pagas. O que está em questão é a diminuição da poluição causada pelo excesso de sacolas plásticas.

A bicicleta como meio de transporte (vixe, que link que eu ponho aqui? Vai esse) não pretende ser a melhor solução para todos (não se presta bem ao transporte de terceiros, não abriga do sol nem da chuva, mesmo com paralamas, suja a roupa de certa ciclista, não se pode guardar coisas em seu interior, demanda esforço físico!), mas polui bem menos, ocupa bem menos espaço, faz muito menos barulho (em boas condições, não faz nenhum barulho), proporciona exercícios físicos e quase não tem custos de manutenção (paga-se o mecânico, mas não há custos extra com combustível, IPVA ou seguro).

A lógica dos produtos eco-friendly não é ser melhor que os produtos main stream, mas danificar menos o meio ambiente. Nada de milagres, apenas menos lixo tóxico para tentar amenizar o prejuízo ambiental.

Um comentário:

Anônimo disse...

Legal.
Quanto ao IPVA, fala baixo, se não dá idéia pros caras !