domingo, 2 de janeiro de 2011

Virada tranquila

Meu plano era viajar com Junior, Sales e Ruy depois do reveillon. Para a virada, eu não tinha planos. Junior e Sales foram confrontados com compromissos que impediam a viagem, daí o Plano B foi dar as boas-vindas ao novo ano com eles. Fomos todos ao Jardim do Dharma.
No meio da mata, rodeado de quaresmeiras em flor, perto de Cotia e Embu, fica o espaço em que fizemos o retiro. E é retiro mesmo: nada de barulho de cidade (música, automóveis, criança, cachorro), nada de poluição, nada de calor, natureza abundante e muita gente sorridente.
Entramos (de gaiato) num retiro que tinha começado na semana anterior e continuaria na semana seguinte. Roque Henrique Severino dava ensinamentos de budismo e tai chi, havia muitas cerimônias e algumas práticas de tai chi. O Jardim do Dharma não é um templo onde moram monges (mas um espaço de retiro), então a comida, os horários e as atividades não são rígidos. Ainda assim, é um local onde reside o sagrado. Tirei e botei sapatos mais vezes do que acendi velas.
Alguns de nós eram organizadores e mestres, outros eram budistas, outros ainda eram praticantes de tai chi e alguns eram turistas em busca de um reveillon tranquilo e/ou com os amigos.
O barulho dos fogos nos indicou o momento em que os ponteiros do relógio se encontraram no 12. Nós estávamos dando voltas em volta das 9 estupas (segunda foto), segurando uma vela e um incenso e entoando um mantra.
Saí de lá feliz por ter conhecido pessoas interessantes, ter compartilhado essa experiência com Ruy, Sales e Junior e ter caminhado pelas estradas de terra rodeadas de mata.

3 comentários:

vansant disse...

Lou, que grande surpresa de encontrar um blog que já contém comentários sobre nosso Ano Novo!
Dessa vez achei alguém mais rápida que eu para atualizar a Internet hehehe...
Fiquei feliz com sua postagem. É bom ter a opinião de quem vai pela primeira vez.
E se você saiu feliz, sinal de que nada do que fizemos foi em vão!
:D
abraços
Vania (Jardim do Dharma)

Neuza disse...

Gostaria de saber como chegar ao Jardim do Dharma, saindo do aeroporto de Congonhas. É possível ir de táxi? Grata. Neuza

iglou disse...

Neuza,

mais fácil você entrar em contato com a Vania, que fez o primeiro comentário desse post. Ou procurar o site do Jardim, indicado no post (tem que clicar em cima e você será redirecionada ao site deles).
Ir de taxi de CGH ao Jardim do Dharma me parece meio loucura, porque é longe. O centro de retiro fica numa outra cidade.