terça-feira, 2 de novembro de 2010

Sofrendo com os textos

Textos ruins me sugam a energia vital, me corroem as entranhas, violentam a minha inteligência e abusam da minha formação. Enfim, me desanimam profundamente. 
Textos ruins não são só aqueles escritos por pessoas que não dominam a ortografia de sua língua materna. 
Textos ruins não são só aqueles em que não existe qualquer forma de planejamento, escolha das palavras, lapidação de ideias ou qualquer indício de prazer de escrever.
Textos ruins são também aqueles escritos por pessoas que não têm vida interna (como já dizia o meu amigo Paulo Punk). Os textos de autores que não têm individualidade própria repetem o discurso da televisão, da igreja, dos filmes e seriados americanos.
Textos ruins são também aqueles que não acertam a medida do tom poético na prosa e transbordam o significante a ponto de as frases ficarem sem sujeito, os verbos sem ação e o leitor sem orientação.

Os textos que ando lendo são drogas pesadas.

2 comentários:

Anônimo disse...

Overdose!

Ma disse...

filha, não há vida sem sofrimento. Os que nasceram sem grandes dons sofrem por causa da sua incapacidade e incompetência e por causa da arrogância dos bem dotados.
Os que foram abençoados por dons sofrem por causa da incapacidade e incompetência dos que nasceram sem grandes dons.
Para você fica um consolo: você nasceu com grandes dons e, mesmo que te façam sofrer, continuam sendo um presente que também te dá alegria e felicidade.
Entre o sofrimento por causa dos dons e o sofrimento por causa da ausência de dons eu ainda prefiro o primeiro.
Se um dia fores capaz de um sentimento parecido com gratidão então terás aprendido uma grande lição de vida.
Eu ainda estou aprendendo.
Um abraço da sua mãe.