domingo, 12 de setembro de 2010

Tentei

Renato, Pablares e Malu chegam hoje no aeroporto de Porto Velho. Ficarão uma semana aqui, para o congresso da Abralin em Cena - Rondônia. 

Numa atitude pró-ativa, resolvi alugar um carro para poder taxear os meus amigos entre hotel, Unir, restaurante e balada (se ainda houver cérebro depois de um dia inteiro de mental work). Quando comecei a comentar que pretendo alugar um carro, Renato foi o primeiro a tentar me dissuadir da ideia: a organização da Abralin vai providenciar o transporte. O segundo foi o meu chefe, depois a encarregada na Unir de organizar a Abralin. Daí o Renato avisou que o carro prometido tinha miado e que seria uma boa eu assumir o papel de motorizada, sim.

Decidida a alugar um carro, pedi ajuda pra Cynthia: se eu fosse pedalando pro centro da cidade, eu poderia voltar dirigindo, mas o que eu faria com a bicicleta? Marquei com a Cynthia de irmos juntas à locadora num carro e voltarmos distribuídas em dois veículos. 

O cara da locadora tinha pedido pagamento adiantado em dinheiro. De manhã, fui de bicicleta até o caixa eletrônico ao lado do Hospital João Paulo. O caixa estava escuro e a máquina que cospe dinheiro estava imersa na obscuridade. No vidro fumê da porta do caixa, havia um cartaz: NEM TENTE.

Resignada, fui tentar o caixa eletrônico do supermercado na Jatuarana. Consegui. Voltei pra casa e esperei a Cynthia. Quando ela chegou aqui, me disse que me emprestava o dela e que não era pra eu alugar carro, não.

Bom, eu tentei alugar um carro em Porto Velho. Não foi dessa vez que consegui.

Um comentário:

Anônimo disse...

Que sorte!