segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Longe

Longe não é uma distância que se mede só em quilômetros. 

Ouvir os meus amigos, que vieram pra Abralin, falando sobre os problemas cabulosos que estão estudando, me faz pensar em quantos aviões eu teria que tomar para chegar numa boa biblioteca.

Ouvir Renato e Maria Luiza falando de seus orientandos joinhas, autônomos e intelectualmente independentes, me faz pensar que estou a milhas e milhas distante deles.

Ouvir um aluno de último ano em Letras dizer que naquela lista de substantivos tem pouco verbo, e teimando que 'abotoadura' é um verbo que vem de 'abotoar', me joga a anos luz de onde eu queria estar.

Hospedar amigos em casa porque a água do poço deles secou devido à estiagem me arranca daqui e me lança na órbita de Plutão, que deixou de ser planeta, mas continua muito, muito, muito longe daqui.

2 comentários:

Marcela Bonfim disse...

Plutão me parece bem melhor do que tudo isso, as vezes (sempre)... Mas, hoje, penso que o negócio é ser brasileiro, vulgo persistente.

Marcela Bonfim disse...

ps: as palavras que me acompanham ultimamente é força, coragem, persistência, estômago, paciência, resistência, perseverança, tolerância e assim vai...

E ainda me acho equilibrada. rs