domingo, 22 de agosto de 2010

Cotidiano

Quando minha gata me acorda de manhã,
sinto o gosto da poeira parada.
Meu humor vê o mundo branco 
e espera o sol dissipar a fumaça.
As parcas folhas amareladas pelo sol
são depenadas pelo vento.
Chove cinzas de queimada
e o banho frio lava a terra suspensa.
De noite se vê os limites do feixe de luz.
Antes de dormir, rezo por um milagre e
sonho com cheiro de chuva e mata molhada.

Um comentário:

Mônica disse...

Aqui em SP já estamos com a fumaça das queimadas do Centro-Oeste. Logo teremos a fumaça aí de Rondônia sobre nossas cabeças.

O ar de fato está muito seco. Estou pensando em um umidificador. A bacia d'água ao lado da cama refresca muito pouco.

Ah! Só para fofocar: achei um gatinho siamês na rua. Tinha sido atropelado há pouco e estava encolhido de dor. Não pude resistir, Lou. Trouxe-o para casa e já o levei ao vet. O gato já foi operado e agora se recupera. Quer mais um? Assim que ele ficar bom eu te mando... [brincadeirinha]

bjs