sexta-feira, 19 de março de 2010

Shaoran ist tot

Shaoran está morto. Foi estraçalhado pelos 3 cachorros do vizinho. Meu filhote não chegou a completar 6 meses de vida. Toda morte de seres jovens é trágica.

Ouvi latidos e gritos. Me acalmei quando vi a Akari, mas continuei andando. Saí da casa. A faxineira da vizinha já estava na porta, amassando as mãos. Perguntou se o gato amarelo era meu. Disse que estava sozinha e não soube o que fazer. Ainda se ouvia o rosnar raivoso e os latidos nervosos dos cachorros.

Abri o portãozinho que dava pro quintal dos cachorros, mas não tive coragem de entrar. Chamei com a voz fresca pelo Shaoran. Tenho medo de cachorro, ainda mais de cachorro com sangue nos dentes. A faxineira me conduziu à sala. De lá dava pra ver, através da janela, o pequeno Shaoran estendido no chão. Dois vira-latas diputavam o corpo do gato. A faxineira falava, eu olhava pros cachorros enfiando os dentes no couro do meu gatinho.

Voltei pra casa, chorei até ficar sem ar, cavei um buraco no meu quintal e liguei pra minha mãe. Shaoran ist tot. Difícil dizer isso. Difícil acreditar que ele não volta nunca mais. Peguei uma camiseta e voltei na casa da vizinha. Pedi que a faxineira embalasse o corpo do gato na camiseta e me devolvesse o corpo dele.

Senti o peso do Shaoran pela última vez. Akari arregalou os olhos quando viu seu companheiro. Desceu do ar-condicionado e acompanhou o enterro. Acho que ela entendeu que agora está sozinha de novo. Plantei uma muda de pitanga em cima do Shaoran. Espero que cresça.

A vizinha chegou em casa, ouviu o relato da faxineira e veio pedir desculpas. Me ofereceu outro gatinho, disse que entendia que eu tava abalada. Não consegui dizer uma palavra. Não consegui dizer que ela criava assassinos no quintal da casa dela. Os três cachorros dela nunca saem nem pra passear. Vivem em três, amontoados e isolados no quintal. Os cachorros servem para proteger a casa e atacar tudo que for estranho. Infelizmente, no Brasil é normal que os cachorros sejam mantidos como armas.

Não consigo comer nada, muito menos corrigir redações. Minha cabeça dói, soluço e choro constantemente. Sinto os meus olhos inchados. A casa ficou vazia. Akari vem de vez em quando me cutucar, mas ela não é de colo.

7 comentários:

Carlos Teixeira disse...

Es tut mir sehr leid, Lou. Wirklich. Kondolenz. :-(

Borta disse...

ai que tristeza :((
força menina

Denise Quitzau Kleine disse...

Sinto muito, muito mesmo, Lou! :-(

Juliana disse...

Aí Lou que notícia mais triste. Estou cá eu aos prantos pq gostava dele. Admirava sua energia, sua coragem e a forma que lutava.
Fui acompanhando vc contar desde qdo ele chegou.
Que vc guarde ele sempre no seu coração e na sua memória os momentos que vcs três passaram juntos. E não foram poucos.
Ele ficará na minha memória tb.
abraço com desejo de conforto a seus sentimentos.

iglou disse...

Queridos,
obrigada.

daniela70 disse...

Não nos conhecemos, mas queria te mandar um abraço bem apertado, ainda que virtual, pela sua perda. Tenho gato, ou melhor, tenho 2 filhas felinas, e não imagino como você está se sentindo. Dor imensa. Fique em paz.

bill disse...

Puxa, Lou,
que triste.
Sinto muito por vc ter perdido o seu filhote de forma tão trágica.

Força pra vc e pra Akari.