terça-feira, 23 de março de 2010

Redações

Dou aula de Produção de Textos prumas 90 pessoas que não lêem nem escrevem quase nada. Contam nos dedos os livros lidos por ano, e a Bíblia quase sempre consta na lista dos livros lidos. O pouco que escrevem, escrevem pra mim. Toda semana entregam uma estória, um fichamento e futuramente um texto argumentativo.

Eu passo a semana toda corrigindo essas belezuras e devolvo os textos com bilhetes longos. Marco os erros de ortografia, concordância, pontuação, paragrafação etc. em cor de rosa. Com a caneta verde, eu chamo atenção pra ambiguidades, incoerências, frases feitas, redundâncias e outros disparates. É um putz trabalhão que eu me dou, porque eu não consigo admitir que os alunos universitários da Unir escrevam tão mal.

Semana passada as minhas ex-alunas tavam sem aula. O professor delas tinha faltado e pediram pra entrar na minha aula. Participaram da atividade e produziram uma redação. Eu tinha distribuído mapas (minha biblioteca de mapas é bem boa) e pedido que transformassem o gênero 'mapa' no gênero 'projeto'. Imaginaram o que fariam nesse lugar, como iriam pra lá e a quem pediriam patrocínio pra executar o projeto. Quando todos tinham uma boa ideia de como iriam pra esse lugar, onde dormiriam, o que fariam na cidade etc., pedi que escrevessem um 'relato de viagem', outro gênero. Acharam que eu tava viajando, porque ninguém conseguia imaginar Porto Alegre, Barcelona, Roma, Andradas, Barra do Una, São Paulo etc.

Essas minhas duas alunas escreveram os melhores relatos de viagem. Quando elas eram minhas alunas, os textos delas não eram excepcionais. Quero crer que as minhas aulas durante o semestre passado tenham feito a diferença entre as redações delas e as dos calouros.

4 comentários:

Mônica disse...

Nem que seja por osmose, eles aprendem, Lou!
[:)]

Juliana disse...

Lou
Acredito que poucas pessoas escrevam bem.
Eu por exemplo não escrevo nada bem. Mas estou tentando soltar mais a mão.
Quando escrevo solto, mas ao retomar vejo erros grosseiros. Com todos os itens que vc citou aí.
Olha que eu gosto de ler. Apesar que leio pouco em relação a minha amiga Jo que lê 100 livros no ano em média.
Acho que seu post estimulou a estudar mais e quem sabe escrever sem muitos erros grosseiros.
Abraço

Fernando disse...

A minha carta não é uma redação, viu?

E. Lima disse...

...
bom, que pena que faço parte dos acadêmicos da unir, que leêm pouco, escrevem mal, leêm a biblia, e que nunca fui exepcional escrevendo(já sabia disso).
mas que bom tbm, que fiz um texto menos ruim dentre os muito ruins,mas se serve de consolo, suas aulas fizeram a diferença sim.
Mas gostaria de aprender mais com vc.