terça-feira, 16 de março de 2010

Professora, professora!

Na Unir, as pessoas me cumprimentam: "Bom dia, professora", "oi, professora", "tudo bem, professora?" No supermercado, a moça do açougue me atende: "oi, professora". Na loja de roupas, meu aluno me cumprimenta: "e aí, professora, já tem o cartão da loja?"

Meu nome foi esquecido. Agora atendo por "professora". E atendo cada urgência...

Estamos em sala de aula. Proponho uma atividade em grupos, distribuo material e vou passeando de grupo em grupo. Um aluno chega perto de mim e quase me sussura que quer conversar comigo lá fora. Eu vou, né. Lá fora, ele me pergunta o que é mesmo que é pra fazer naquela atividade. Pacientemente, expliquei como ele poderia acompanhar o seu grupo.

* * *

Continuamos na mesma aula. Todos estão entretidos na atividade em grupo. Eu estou sentada no degrau do professor (da parede da lousa até 1,5m sala adentro o chão é mais alto. Coisa de status do professor). Um dos alunos senta do meu lado e diz que está muito triste porque todos receberam a camiseta da turma (tem o símbolo da Unir, o nome do curso e o ano) no tamanho certo, e a dele veio no joelho.
- Como vai ficar agora, professora, só eu sem uniforme pra vir pra escola?
Não lembrei o menino que ele estava na universidade e que a camiseta não exercia a função de uniforme. Sugeri que fizesse a barra da camiseta.

* * *

Chego de bicicleta na Unir. Solto o alforge, começo a tirar o cadeado do bagageiro e sou cumprimentada por um guarda da Unir.
- Bom dia, professora, a senhora entende de coluna?
- Não, não entendo de coluna.
Tranco o cadeado.
- Ah, é que eu estou com umas dores aqui, porque eu malhava, né, daí ontem a dor voltou, aí eu achei que era algum exercício que eu tava fazendo errado, né.
- Puxa, não sei como te ajudar.
Tiro o velocímetro e a garrafinha de água da bicicleta.
- Mas a senhora não faz esporte, não dá aula de Física?
- Não, a minha bicicleta é o meu meio de transporte e eu sou professora de português.
Guardo a chave e o velocímetro na pochete.
- A senhora não é professora de Física?
- Não, de português. Quer saber? Vai num médico, que é isso que as pessoas fazem quando sentem dor.
Pego o alforge e vou embora dali.
- Tá.

* * *

Era dia de devolver redação dos alunos. Eu já tinha implicado, via bilhete, com o Felipe, que em outro momento tinha escrito uma redação cheia de redundâncias, tautologias e pleonasmos. Só pra ser ter uma ideia, o título era "Cotidiano diário do dia-a-dia" e no meio eu lembro de um "suicídio contra a própria vida". Fazendo alarde, Felipe reclamou da minha correção na sala.

Hoje, quando fui coletar as redações pra devolver que eu tinha deixado em cima do sofá ontem, vi que Shaoran estava em cima delas. Olhando mais de perto, vi que o gato tinha amassado e arranhado uma delas: a do Felipe.

Em sala de aula, expliquei a todos (com a pilha de redações na mão) que havia acontecido um acidente doméstico.
- Ah, professora, seu filho babou em cima da redação.
- Quase. Meu gato quase comeu uma redação.
- Uma só?
- Por incrível que pareça.
- De quem, professora?
- Do Felipe.
- Ave Maria, é marcação comigo, professora!
Pedi milhares de desculpas, mas não adiantou. Agora sou a professora que amassa as redações dos alunos. Felipe me entregou a redação de hoje dizendo:
- Vê se não amassa essa, hein!

* * *

Chega um e-mail em que a moça do cadastro nota que eu não preenchi o campo em que se pede pra colocar os anos de ensino no Magistério. Respondo que não coloquei nada porque esse emprego na Unir é o meu primeiro emprego. Adiciono ainda a informação de que antes de ser professora, sempre fui estudante. Ela volta a me escrever, perguntando se eu não dei aulas nem no Ensino Médio.

5 comentários:

Fernando disse...

Psôra, chegou minha carta?

Fabiano disse...

Que vida malouca!

iglou disse...

Fer, chegou! Fiquei mó feliz com uma carta de verdade, em papel e tinta!

Fabiano, tenho uma pior. Aconteceu agorinha. Voltei de carona da Unir. Tudo escuro dentro e fora do carro. Um carrão. Eu estava sentada atrás, do lado de uma moça. Quando eu disse que eu era professora, ela abriu o celular dela e iluminou a minha cara. Depois de me holofotar, exclamou para os colegas da frente:
- É novinha!

Fernando disse...

Vc tá com qual endereço de resposta? O correto é o da Marcos Portugal? Confere?

baci!

bill disse...

Pôxa Lou,
jesus ilumine sua vida!

Hahsushshhshsshsu

Beijão