sábado, 27 de março de 2010

Madrugada e sua recompensa


Acordei às 5:15 com o barulho chato do despertador impertinente. Foi difícil manter os olhos abertos, mesmo com a luz ligada. Acordei a Miyuki e a vi correndo pela casa, desesperada. Dei um 'boa noite' remelento pro guarda, ele me devolveu 'bom dia' sorridente. No farol do trevo da Eletronorte parou um ônibus da Eucatur. Corri pra chegar antes desse ônibus na rodoviária. Atravessei a cidade escura e deserta e me espantei com a quantidade de ciclistas a caminho de sabe lá o que. Entreguei a Miyuki às 5:55 na rodoviária e cruzei com o ônibus dela na volta.

O dia foi clareando devagarzinho. Olhando pra essa alvorada, todo sono se esvaiu. Será que eu apreciaria essa alvorada daqui tanto se a visse todo dia?

Nenhum comentário: